Defesa de Puccinelli vai ao STF tentar habeas corpus

Da Redação

A defesa do ex-governador André Puccinelli (MDB), do seu filho André Puccinelli Júnior e do advogado João Paulo Calves recorreu ao STF (Supremo Tribunal Federal) a liberdade dos três, depois de dois habeas corpus negados.  O pedido foi protocolado nessa segunda-feira (30).

Puccinelli está preso desde o dia 20 de julho, alvo da Operação Lama Asfáltica, que investiga suposto desvio de dinheiro público por meio de obras públicas.

Os advogados Renê Siufi e André Borges fizeram a primeira tentativa de liberdade dos clientes no TRF3 (Tribunal Regional Federal) da 3ª Região, que teve o pedido liminar de habeas corpus negado pelo desembargador Maurício Kato na tarde do último dia 24.

O magistrado aceitou que as prisões são necessárias para que as apurações sobre lavagem de dinheiro de propinas e ocultação de bens a partir do Instituto Ícone, registrado em nome do advogado João Paulo Calves e que os investigadores acreditam pertencer, a André Puccinelli Junior, filho do ex-governador, tenham continuidade.

A defesa alega que não há fato novo para culminar nas prisões, e que o ex-governador e ex-prefeito de Campo Grande é alvo de perseguição política por ter anunciado a pré-candidatura ao governo de Mato Grosso do Sul.

Comentários