Defesa de Marcelo Odebrecht pede dieta

Marcelo Odebrecht é detido na Operação Lava Jato fOTO Julio Bittencourt/Valor/Folhapress
Marcelo Odebrecht é detido na Operação Lava Jato fOTO Julio Bittencourt/Valor/Folhapress

A defesa do presidente da construtora Odebrecht, Marcelo Odebrecht, pediu nesta sexta-feira (19) à Polícia Federal (PF) a entrega de uma dieta equilibrada na carceragem da PF.

O executivo foi preso nesta sexta-feira em São Paulo, durante a 14ª fase da Operação Lava Jato, por determinação do juiz federal Sérgio Moro, e será transferido para a Superintendência da polícia em Curitiba.

De acordo com a defesa, Marcelo é portador de hipoglicemia e não pode ficar longos períodos sem alimentação. A informação consta em um ofício enviado aos delegados e ao juiz federal.

“Por todo o exposto, serve a presente para informar à Vossa Excelência [juiz] que tão logo esteja na custódia da Superintendência da Polícia Federal de Curitiba, o peticionante receberá de seus advogados a alimentação adequada diante de seu quadro de saúde”, informou a defesa.

As investigações que resultaram na 14ª fase da Operação Lava Jato revelam que as empreiteiras Odebrecht e Andrade Gutierrez lideravam o cartel de empreiteiras que superfaturavam contratos da Petrobras. Os presidentes das duas construtoras, Marcelo Odebrecht e Otávio Marques Azevedo, foram presos.

De acordo com a Polícia Federal e o Ministério Público Federal, as duas empreiteiras, no entanto, diferentemente das demais investigadas, usavam um esquema “mais sofisticado” de pagamento de propina a agentes públicos e políticos por meio de contas no exterior, o que exigiu maior aprofundamento das investigações, antes do pedido de prisão dos diretores das empresas.

BAND

Comentários

comentários