Custo da cesta básica teve redução de 1,90% em janeiro na Capital

Campo Grande registrou em janeiro de 2019 uma redução de 1,90% no preço da cesta básica frente a dezembro de 2018. Segundo dados do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), foi a quinta maior retração entre as 18 capitais em que a instituição faz o levantamento, sendo superado apenas pelos índices de Porto Alegre (4,96%), Florianópolis (4,43%) e Curitiba (4,16%) e Brasília (2%).

Preço dos 13 produtos que compõem a cesta caiu 1,90% na cidade; em contrapartida, em 12 meses registra alta de 7,96%.

Em contrapartida, no acumulado de 12 meses – entre janeiro de 2018 e de 2019,Campo Grande contabiliza uma alta na cesta básica de 7,96%, a segunda maior entre as capitais pesquisadas.

Dos 13 produtos que compõem a cesta básica, o Dieese aponta que cinco registram quedas de preço em janeiro. A mais expressiva foi do tomate, 25,39%. A instituição aponta que as altas temperaturas nos centros produtores aceleraram a maturação do fruto, elevando a oferta e reduzindo os preços no varejo.

Além do tomate, também contabilizaram diminuições de preço: carne bovina (3,71%), arroz (2,42%), café (0,63%) e pão francês (0,18%).

Outros dois produtos, a farinha de trigo e o óleo de soja, tiveram estabilidade nos preços.

Em contrapartida, seis itens da cesta sofreram reajustes. O maior foi do feijão carioquinha, 37,50%. O Dieese diz que a baixa oferta do grão e a redução da área semeada explica a elevação.

Os outros produtos que sofreram altas foram: batata (16,60%), manteiga (3,67%), banana (2,18%), açúcar cristal (0,53%) e leite de caixinha (0,86%).

Conforme o Dieese, em janeiro deste ano a cesta básica com 13 produtos teve um custo em Campo Grande de R$ 414,83. Isso significa que o trabalhador que recebe um salário mínimo comprometeu 45,18% de seu rendimento líquido (com desconto da previdência social).

No que se refere à cesta familiar, com uma quantidade de produtos para atender uma família com quatro pessoas, sendo dois adultos e duas crianças, o somou R$ 1.244,49 no mês passado, o equivalente a 1,25 vezes o salário mínimo bruto (sem desconto da previdência social).

Comentários