Crítica de arte Aline Figueiredo ministra curso de História da Arte na Capital

Da Redação/P.F

Foto Divulgação

A crítica de arte Aline Figueiredo ministra gratuitamente entre os dias 15 e 20 de maio na Capital o Curso História da Arte. Com duração de vinte horas divididas em seis dias, o curso terá certificado para os participantes emitido pela própria ministrante. O projeto já passou por Dourados e Ponta Porã e conta com patrocínio do Fundo de Investimentos Culturais do Governo de Mato Grosso do Sul.

Discorrendo sobre os mais importantes períodos da criação artística da humanidade, da pré-história à atualidade, Aline Figueiredo perpassa a arte sul-mato-grossense, mato-grossense e mundial. O curso trata de importantes momentos da história da humanidade e o conteúdo é transmitido pela professora, que ministra cursos de História da Arte desde o final da década de 1970.

Com este trabalho executado em diversos locais e regiões do Brasil, Aline vem alcançando um amplo grupo de interessados, principalmente de jovens e pesquisadores, mantendo-os despertos para as suas necessidades culturais, educando e introduzindo novos expectadores para a arte.

Aline Figueiredo é crítica de arte membro da Associação Brasileira de Críticos de Arte (ABCA), além de escritora premiada nacionalmente. Formada em direito, ela foi responsável pela criação do Museu de Arte e de Cultura Popular de Mato Grosso, junto com o artista plástico Humberto Espíndola. Foi também ela que implantou a Fundação Cultural de Mato Grosso. Atua como assessora de artes plásticas, cria e desenvolve o Ateliê Livre, o Salão Jovem Arte Mato-Grossense e a Pinacoteca Estadual de Mato Grosso.

O cronograma do curso compreende Pré-História ao Gótico; O Renascimento e os Desdobramentos do Classicismo; O Século XIX: A Revolução permanente em busca de novos padrões; Arte Contemporânea e seus desdobramentos experimentais na segunda metade do século XX; Panorama da Arte Brasileira; Panorama da Arte Mato-Grossense e Sul-Mato-Grossense, abrangendo noções sobre o aparecimento da arte mato-grossense e sul-mato-grossense na cena brasileira, a força da pintura cabocla, os principais artistas ao longo de mais de quarenta anos de descentralização da arte brasileira.

Perfil – Nascida em Corumbá, Mato Grosso do Sul, Aline Figueiredo Espíndola é animadora e crítica de arte. Desde 1970 vem ministrando cursos, oficinas e seminários de História da Arte. Realizou a “Primeira Exposição de Pintura dos Artistas Mato-grossenses” (1966), em Campo Grande. Ali fundou e dirigiu a Associação Mato-Grossense de Artes (AMA, 1967/1972).

Transfere-se para Cuiabá em 1973 no quadro técnico da Universidade Federal de Mato Grosso e junto a Humberto Espíndola elabora projeto para a criação do Museu de Arte e de Cultura Popular. Nesse Museu, além da Divisão de Artes Visuais, exerceu o gerenciamento até 1982 e entre 1985 e 1996 a função de supervisora.

Participa da Implantação da Fundação Cultural de Mato Grosso, em Cuiabá (1975), e ali atua até 1979, na assessoria de artes plásticas, quando cria o Ateliê Livre, o Salão Jovem Arte Mato-grossense e a Pinacoteca Estadual, todos em 1976. Autora dos livros “Artes Plásticas no Centro-Oeste”, (Edições UFMT/MACP/Cuiabá/1979), recebe por essa publicação o prêmio “Gonzaga Duque”, da Associação Brasileira de Críticos de Arte (Rio de Janeiro, 1980); “Arte Aqui é Mato” (Edições UFMT/MACP/Cuiabá, 1990); “A Propósito do Boi” (EDUFMT/Cuiabá, 1994), pelo qual recebe o Prêmio Alejandro José Cabassa, oferecido pela União Brasileira de Escritores (Rio, 1996).

Participou de Comissões Organizadoras de diversas coletivas  nacionais, a exemplo do Salão Nacional de Artes Plásticas (Rio de Janeiro, 1983/84). Integrou júris de diversos salões nacionais e internacional.Edita o livro “Dalva Maria de Barros – Garimpos da Memória” (Editora Entrelinhas, Cuiabá, 2001), recebendo por essa publicação o Prêmio Sérgio Milliet, da Associação Brasileira de Críticos de Arte, São Paulo, 2002. Participa com Bernardo Élis, do livro “O Centro-Oeste”, (Editora Colorama/Banco Francês e Brasileiro, Rio de Janeiro, 1985), e “Mato Grosso – Território de Imagens” – com o texto “Pintura e fotografia em diálogo – décadas de 60, 70 e 80”, organizado por Magna Domingues, (Editora Entrelinhas, Cuiabá, 2008).

Organiza juntamente com Humberto Espíndola o “Catalogo MACP”, (Animação Cultural e Inventário do Acervo do Museu de Arte e de Cultura Popular da UFMT), edições UFMT e Entrelinhas, 2010.  Participa da “Coleção Pensamento Crítico”, vol 4, organizado pelo Professor Dr. Laudenir Antonio Gonçalves da UFMT, editado pela Funarte, Rio de Janeiro 2010 Ministério da Cultura. Obteve o Prêmio Mario de Andrade conferido pela Associação Brasileira de Críticos de Arte – ABCA, pela sua trajetória de Crítica e Animação Cultural, São Paulo 2013. Em 2014 organiza a coletiva “PERCURSO” (Magia Propiciatória), realizada no Museu de Arte e de Cultura Popular da Universidade Federal de Mato Grosso, por ocasião dos seus 40 anos de fundação, mostra essa que reuniu 87 obras de 35 artistas do Estado.

Serviço: Durante as oficinas Figueiredo sintetiza, amplia e enriquece, utilizando imagens e informações. O público alvo são professores, estudantes e profissionais das áreas de artes, jornalismo, arquitetura, história, comunicação, sociologia, antropologia, designer, letras e profissionais de teatro e artes visuais —e interessados em geral.

As inscrições podem ser feitas diretamente com a organizadoras das oficinas, Dalila Saldanha, através do seguinte endereço de email: http://[email protected]. As vagas são limitadas e as inscrições são gratuitas. Os eventos são realizados pela Quiquiho Produções, sob a coordenação da produtora cultural Dalila Saldanha. O projeto é patrocinado e financiado pelo Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania (Secc), através do Fundo de Investimentos Culturais (FIC).

Campo Grande

Anfiteatro da Escola Estadual “Maria Constança de Barros. Rua Mal. Candido Mariano Rondon, 451 — Amambai

Telefone: (67) 3314-1239

De 15 a 20 de maio, das 19:30 às 22h

Comentários