Cristóvão Borges não resiste à pressão e deixa Flamengo após derrota

O Flamengo demitiu o técnico Cristóvão Borges. A diretoria decidiu pela saída do profissional em reunião nesta quinta-feira, um dia após a derrota para o rival Vasco por 1 a 0.

Cristóvão Borges (Foto: Gilvan de Souza)
Cristóvão Borges (Foto: Gilvan de Souza)

O revés na Copa do Brasil aumentou a pressão sobre o trabalho de Cristóvão, que não resistiu às críticas de torcedores nas arquibancadas e de dirigentes nos bastidores do clube rubro-negro.

O treinador deixa o comando do Flamengo após 19 jogos. Foram oito vitórias, nove derrotas e dois empates, com direito a muitos questionamentos durante menos de três meses de trabalho.

Cristóvão Borges viveu dias difíceis desde seu início de trajetória no Flamengo – no final de maio. Com apenas quatro vitórias nas dez primeiras partidas disputadas, o técnico flertou com a demissão.

A queda, no entanto, foi evitada pelo presidente Eduardo Bandeira de Mello e pelo diretor de futebol Rodrigo Caetano. Os cartolas nada puderam fazer após a derrota para o Vasco na Copa do Brasil.

Oswaldo de Oliveira é o favorito para herdar o posto vago no Flamengo neste momento. A diretoria trabalha para encontrar um novo nome para o cargo de treinador com rapidez.

Oswaldo é nome forte na Gávea desde a queda de Vanderlei Luxemburgo. Na ocasião, o treinador trabalhava no Palmeiras e não fechou acordo – Cristóvão, então, foi contratado.

Com a possibilidade de ter um técnico novo, o Flamengo tentará se recuperar na Copa do Brasil em novo clássico, marcado para a próxima quarta-feira, também no Maracanã. O Vasco se classifica para as quartas de final em caso de empate.

Antes, porém, o Flamengo precisa se concentrar no Brasileirão. Na 13ª posição, com 23 pontos, o clube abre o returno da competição em jogo contra o São Paulo.

A partida está marcada para o próximo domingo, às 16h. Se não acertar com um novo técnico rapidamente, Jayme de Almeida irá comandar o time nos próximos jogos.

UOL

Comentários

comentários