Tereza Cristina quer foco na segurança dos produtores: ‘Não vou admitir invasão de terras’

Michael Franco

A deputada federal e ministra da Agricultura indica por Jair Bolsonaro, Tereza Cristina (DEM) concedeu entrevista coletiva na manhã desta sexta-feira (09), para falar dos desafios do futuro cargo. Na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), a principal demanda tratada pela parlamentar foi a segurança jurídica dos produtores rurais em relação a invasões de terra.

“Acho que não é novidade para ninguém que o presidente Bolsonaro vai ser muito duro com essas questões. Ele não vai admitir invasão de sem-terras, indígenas. Ele frisou isso para mim, que na segurança jurídica ele não vai titubear, com ele esse assunto de invasão o que tiver fora da lei, não vai admitir”.

A parlamentar indicada à pasta ministerial pela Frente Parlamentar agropecuária ressaltou ainda a importância do foco da segurança jurídica em decorrência da representatividade do setor. “Nós precisamos ter segurança jurídica para produzir, facilitar e criar um ambiente de negócio favorável para todo setor. Principalmente o nosso setor, a Agricultura. A gente sabe que 30% do PIB vem da agricultura, então precisamos ter isso”.

Meio Ambiente

A futura ministra tratou como “maturidade” a decisão de Bolsonaro desistir da junção dos ministérios da Agricultura e Meio Ambiente. Mesmo mantendo as pastas separadas, ele disse que o futuro responsável pelo órgão ambiental terá que passar pela aprovação de Tereza Cristina. À respeito da escolha, ela afirmou que já pensa no perfil do futuro ministro.

“Eu ainda não sei quem será o ministro, mas com certeza vai ter que ser alguém sem ideologia. Tem que ser um ministro que pense tecnicamente e que tenha agilidade para tocar esse ministério sem ser esse monstro de estrutura, a filosofia é essa”.

Ainda com a pasta mantida, o ministério será reformulado para se adequar aos pensamentos da gestão Bolsonaro. “Ele será readequado para o que representa esse governo, uma política de simplificação que não quer dizer abrir geral. O que não vamos ter mais é a ‘norma da norma da norma técnica’, vai ser sem perder e o Código Florestal será respeitado”.

Desafio de Bolsonaro

A deputada contou que no fim da conversa onde foi decidida a indicação para o ministério recebeu um grande desafio de Jair Bolsonaro. Segundo ela, o presidente eleito determinou que o setor alcance o dobro de sua produção. “Ele me disse ‘deputada a sua missão é facilitar e melhor o ambiente de negócio do Brasil e também dobrar a produção com sustentabilidade’. Eu tenho certeza que com condições, o produtor faz isso com muita facilidade”.

Transição

Tereza Cristina se reunirá na próxima semana com o atual ministro da Agricultura, Blairo Maggi para acompanhar a situação do ministério e tratar das mudanças para próxima gestão. Além disso, a deputada disse que toda semana será de constantes reuniões da equipe de Bolsonaro.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui