Criação da Academia Feminina de Letras amplia o protagonismo das mulheres na cultura

Mais um espaço destinado à brilhante atuação da mulher na cultura estadual. Na cerimônia de instalação e posse da Academia Feminina de Letras e Artes de Mato Grosso do Sul (AFLAMS), realizada esta noite (30), no Plenário Júlio Maia, na Assembleia Legislativa, por proposição do deputado Professor Rinaldo (PSDB), 40 mulheres receberam diploma e colar acadêmico. Um dos principais objetivos da AFLAMS é divulgar e incentivar a atuação da mulher em todos os campos culturais.

Foto: Sessão Solene de Instalação e Posse da Academia Feminina de Letras e Artes de MS. Foto: Wagner Guimarães.

Professor Rinaldo destacou a importância da instalação da Academia Feminina de Letras e Artes do Estado. “O Parlamento Sul-Mato-Grossense está honrado em participar deste momento histórico e estará sempre de portas abertas para apoiar todas as ações propostas pela AFLAMS. Isso era necessário em nosso Estado para fortalecer a política de paz, fazendo com que a sociedade seja mais tolerante e melhor, em um momento que a mulher procura cada vez mais seu espaço no contexto social. Essa instituição levantará mais ainda a autoestima da mulher sul-mato-grossense”, considerou o parlamentar.

O deputado estadual Capitão Contar (PSL) também participou da solenidade e enfatizou a relevância das mulheres para a cultura sul-mato-grossense. “Para nós aqui do Estado é mais uma entidade que vai vir somar com a cultura, com a educação e com toda a harmonia e vontade que essas bravas mulheres têm para contribuir para o nosso grandioso MS, eu fico muito feliz com essa instalação e eu quero parabenizar a todos os organizadores deste evento, principalmente as acadêmicas”, enfatizou.

A presidente fundadora da AFLAMS, a advogada e poetisa Deslanieve Miranda Daspet de Souza, descreveu sua trajetória. “Fui criada no Pantanal, e meu pai, mesmo sem estudo, me ensinou que o aprendizado era liberdade. Resolvi advogar e ser ativista da causa humanitária e da cultura da paz aqui no Brasil e em vários países. A poesia não tem nacionalidade, nem cor, nem gênero, nem religião, chegando então a cada diferente lugar dizendo o que eu pretendia ou o que interpretavam. Sonhei e ajudei a realizar vários outros momentos, este aqui hoje começou em 2008 com apenas três de nós, sendo a união de mulheres que ajudam a escrever a história deste Estado. Essa semente é muito importante, pois as gerações futuras precisam saber quem são os escritores e educadores”, ressaltou a poetisa.

O governador do Estado, Reinaldo Azambuja (PSDB), falou da emoção em participar da cerimônia de instalação da AFLAMS. “Hoje é um momento de celebração, sinto muita alegria em estar aqui pelo segmento e dedicação que vocês representam. O Governo do Estado e a Assembleia Legislativa sempre apoiarão as ações da Academia Feminina de Letras e Artes, que será um marco para a cultura e história de Mato Grosso do Sul”, destacou.

Posse – Após a leitura do juramento pela escritora Helita Barbosa Serejo Lemos Fontão, receberam o diploma e o colar acadêmico Delasnieve de Souza, Maria Helena Sarti, Aida Machado Domingos, Maria Teresa Casadei, Blanche Maria Torres, Rosangela Villa da Silva, Rosemari Gindri, Edineide de Oliveira, Marlei Sigrist, Marilene Grolli, Ana Lúcia Moreira, Silvia Regina Farina, Lúcia Monte Bueno, Aurineide Oliveira, Therezinha Selem, Viviane Vazes, Yrama Barros, Maria José Cordeiro, Martha Brum, Valmira Garcia, Mirian Suzuki, Neyla Mendes, Kênia Braga, Luciana Rondon Carvalho, Daniela de Cássia Duarte, Ledir Marques Pedrosa, Sonia Cristina de Albuquerque, Angela Cristina dos Reis, Sonia Maria Ruas Rolon, Marta Martins de Albuquerque, Cilene Queiróz, Helita Fontão, Severina da Silva, Lais Doria, Lucimara Calvis, Ana Aparecida Arguelho, Érika Rando de Oliveira, Maria Caroline Bertol, Eudirce Isabel dos Reis e Ilva Maria Xavier Canale.

Homenageados – No evento foram homenageadas com as primeiras comendas Grã-Colar da instituição três personalidades que contribuíram para a AFLAMS. O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, o deputado estadual Professor Rinaldo (PSDB) e Valter Jerônymo, editor e colaborador da Academia Feminina de Letras e Artes de MS.

No evento também foi lançado o selo personalizado produzido pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios) alusivo à Academia Feminina de Letras e Artes de Mato Grosso do Sul, para uso exclusivo da entidade, que foi obliterado por Carlos Nejar, representado a Academia Brasileira de Letras, pelo deputado Professor Rinaldo, pela presidente da Fundação de Cultura do Estado, Mara Caseiro, pela representante da Academia Catarinense de Letras, Lélia Pereira Silva Nunes, e pela fundadora da AFLAMS, Deslanieve Miranda Daspet de Souza.

O superintendente Estadual de Operações dos Correios, Genivaldo Lacerda, falou da satisfação em participar de um momento histórico. “É uma grande alegria estar aqui, gostaria de agradecer Deslanieve Daspet por ter procurado o Correios. Além do selo ofertamos o carimbo comemorativo , este evento será então eternizado e ainda poderá ser utilizado nas postagens de cartas em todo Brasil, podendo ser produzido mais vezes. Seu carimbo fica no museu postal dos correios eternamente, carimbando a certidão de nascimento desta academia, desejamos vida longa a nova instituição”, relatou.

Nelson Vieira de Souza, membro da Academia Maçônica de Letras e colaborador da AFLAMS fez o pronunciamento final. “A Academia Maçônica de Letras se sente honrada em participar deste episódio, desejamos êxito na ações da Academia Feminina de Letras e Artes em prol da cultura do Estado, e porque não dizer do nosso Brasil. Nós estaremos a disposição da AFLAMS para, no futuro, realizarmos movimentos culturais em conjunto”, informou.

Também participaram do evento Júlia Fumiko Hayashi Gonda, subdefensora pública-geral do Estado, Mansour Elias Karmouche, presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional Mato Grosso do Sul, o vereador Eduardo Romero (REDE), e representantes de diversas Academias de Letras de diferentes estados da Federação, entre outras autoridades.

Comentários