CPI do Genocídio segue até fim do mês e entrega relatório em Junho

Membros da CPI em audiência realizada (Foto: Wagner Guimarães)
Membros da CPI em audiência realizada (Foto: Wagner Guimarães)

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) do Genocídio, que investiga que investiga a Ação/Omissão do Estado de Mato Grosso do Sul nos Casos de Violência Praticados Contra os Povos Indígenas de 2000 a 2015, ainda segue por quase um mês, até o final deste mês, mas já definiu pelo encerramento com a data de entrega do relatório para 2 de junho. A votação do relatório final será no dia 9 de junho, conforme programado pelos membros da comissão.

As datas finais foram definidas em reunião na tarde desta quinta-feira (12), com os deputados também aprovando mais duas amplas reuniões de trabalhos fechadas antes da entrega do documento final da relatoria, para os dias 17 e 25 de maio. “Como não houve mais nenhuma indicação de depoentes para serem ouvidos, as próximas reuniões serão voltadas para os ajustes finais do relatório, para que os deputados membros possam auxiliar a assessoria jurídica no que for preciso, visto que a relatora Antonieta Amorim [PMDB] está afastada por motivo de saúde”, explicou o presidente da CPI, João Grandão (PT).

Após a apresentação do relatório, os deputados que compõem a CPI, a vice-presidente Mara Caseiro (PSDB), Paulo Corrêa (PR) e Rinaldo Modesto (PSDB) além do presidente e relatora já citados, terão uma semana para apreciar o documento. Caso Antonieta Amorim ainda esteja de licença, o deputado suplente da vaga, Renato Câmara (PMDB), deverá ser convocado tanto para a leitura do dia 2 quanto para a votação do relatório final marcada para o dia 9 de junho de 2016.

Ainda na reunião desta quinta-feira, os deputados aprovaram a ata da reunião do dia 28 de abril, visto que a do dia 5 de maio foi suspensa por falta de quórum justificado.

Comentários

comentários