CPI calcula que houve desvio de 14,5 mil vacinas

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Vacinas, instaurada na Câmara Municipal para apurar o sumiço de doses de vacina contra Influenza H1N1 da rede pública de saúde, divulgou o cálculo das doses desaparecidas na tarde desta terça-feira (29) no Plenário Edroim Revertido.

Parte da Comissão durante esclarecimento no Plenário Edroim Revertido
Parte da Comissão durante apresentação do relatório final no Plenário Edroim Revertido (Foto: Jefferson Parreira)

De acordo com a comissão, 14.504 doses desapareceram da rede pública de saúde. A CPI desconsiderou um número máximo de perda técnica e perda física, quando há, respectivamente, muita dose para poucas pessoas e problemas no transporte e armazenamento, por exemplo.

A Comissão é formada pelo relator da CPI, vereador Dr. Lívio, o presidente Alex do PT, o vereador Vanderlei Cabeludo, vereador Chiquinho Telles e pelo vereador Engenheiro Edson.

Segundo o relator da CPI, Dr. Lívio, mais de 20 volumes, contendo 250 páginas cada, foram analisados pela Comissão. Ao todo, estima-se que os volumes totalizam mais de 5 mil páginas, contando com os documentos enviados pela polícia civil. O caso será investigado pelo Ministério Público Federal.

Motivo para a abertura da CPI das Vacinas

A Comissão destacou a mídia como sendo o principal fator a ter influenciado na abertura das investigações sobre o sumiço das doses de vacina.

“Publicações de matérias pela mídia de que 32.381 doses de vacina estavam desaparecidas e que a Prefeitura de Campo Grande não sabia de seu paradeiro. Em matérias veiculadas posteriormente, teve nova afirmativa de sumiço de mais de 3.166 doses da vacina do vírus Influenza”, consta na explicativa.

Conforme a Comissão, investigações da polícia civil também influenciaram na abertura da CPI. Além disso, uma instauração pelo Ministério Público do Inquérito Civil, também contribuiu.

“Investigação da Polícia Civil (ocorrência n 8313/2016), que consta lista com 35 nomes de pessoas que, supostamente, foram vacinadas no gabinete do prefeito”.

 

 

 

Comentários

comentários