Cotado a disputar sucessão de Dilma, Ciro Gomes cancela visita a Campo Grande

O presidenciável Ciro Gomes, ex-governador do Ceará, que visitaria Campo Grande nesta sexta-feira (20), teve que cancelar à visita em função do nascimento de seu filho com a atriz Patrícia Pillar, nesta quinta-feira (19).

Ex-presidente do PDT João Leite Schimidt
Ex-presidente do PDT João Leite Schimidt Foto Silvio Ferreira

Mesmo assim, a reunião do Diretório Estadual do PDT, nesta sexta-feira na Câmara Municipal foi mantida. Durante o evento, o ex-presidente do PDT/MS, João Leite Schimidt defendeu Ciro Gomes como o “candidato natural da esquerda para as próximas eleições [de 2018]. Um candidato de ficha-limpa, que nunca teve um processo por improbidade administrativa, o que é um grande diferencial em tempos de crise ética vivida pelo país”.

O atual presidente estadual do PDT, deputado federal Dagoberto Nogueira, também defendeu uma futura candidatura do ex-governador cearense, falou sobre a saída do deputado estadual Beto Pereira do partido e da cassação do vereador Paulo Pedra, em Campo Grande. 

“Para mim, Ciro Gomes será o futuro presidente da República. Sobre o deputado Beto Pereira, nós já fizemos o convite para que ele deixe o partido. (Minutos antes da gravação o presidente do PDT/ms declarou aos jornalistas presentes, referindo-se ao deputado dissidente, de forma enfática: “Eu odeio ingratidão”.

Dagoberto reafirmou que “o partido liberou o deputado [Pereira] e que a legenda não requererá à vaga na Assembleia Legislativa”.Quanto à cassação do vereador Paulo Pedra, sentenciada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) nesta semana, o presidente estadual do PDT classificou a decisão como “uma injustiça com Pedra, que em meio à esse episódio de venda de votos de vereadores, manteve sua posição. É um companheiro íntegro, que não será abandonado pelo PDT”, concluiu.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários