Corinthians leva o empate do Cruzeiro e vê Palmeiras levar primeiro turno

Aos gritos de burro para Cristóvão e vaias apesar do bom desempenho da equipe com as entradas de Guilherme e Marlone, o Corinthians ficou no empate por 1 a 1 com o Cruzeiro na noite desta segunda-feira, no estádio do Pacaembu, pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro. O gol da equipe alvinegra foi marcado pelo meia Giovanni Augusto, enquanto o argentino Ábila fez o tento de empate dos visitantes.

Corinthians perde a chace de assumir liderança (Foto: Globo Esporte)
Corinthians perde a chace de assumir liderança (Foto: Globo Esporte)

Com o resultado, os alvinegros chegaram a 34 pontos, dois a menos que o Palmeiras, detentor do título simbólico do primeiro turno da competição. O clube ainda foi ultrapassado pelo Atlético-MG, que derrotou a Chapecoense por 3 a 1. Já o Cruzeiro tem 19, ainda na zona de rebaixamento.

Na próxima rodada, os comandados de Cristóvão Borges fazem um difícil duelo contra o Grêmio, na Arena do rival, às 11h (de Brasília) do próximo domingo. Do outro lado, Mano Menezes e a sua trupe recebem a equipe do Coritiba, no mesmo dia, mas às 16h (de Brasíla), no Independência.

Gol relâmpago e péssima arbitragem

O início de jogo foi eletrizante, deiando o Corinthians em vantagem praticamentedesde o primeiro apito do juiz Dewson Fernando Freitas. Marquinhos Gabriel recebeu bela inversão de bola de Bruno Henrique após corta-luz de Elias. O meia cruzou para André dividir com a zaga dentro da área. A bola espirrou e sobrou nos pés de Giovanni Augusto. O meia chutou forte, a bola desviou em Henrique e entrou no gol sem chances de defesa para o goleiro Lucas França.

O problema para os visitantes foi que o árbitro não se limitou a apenas iniciar a partida. Após uma rápida pressão, principalmente com os habilidosos Rafael Sóbis e Ramón Ábila, a Raposa teve uma chance clara para empatar. O argentino deu um chapéu em Cássio e sofreu pênalti claro do arqueiro, ignorada pelo juiz, para desespero dos mineiros. O avante ainda tentou mostrar o joelho sangrando, talvez fruto da dividida com Cássio, mas só conseguiu um amarelo para si mesmo.

A arbitragem continuou a piorar. Em dividida no ataque, André ganhou de Lucas e levou uma solada na região da virilha, caindo no chão com muitas dores. O juiz nem falta marcou. Depois, foi alvo de constantes reclamações, principalmente de Rafael Sóbis. O avante, que chegou a classificar como “palhaçada” a arbitragem no intervalo, movimentou-se bastante e, a cada bola que o árbitro marcava a favor do Alvinegro, balançava os braços em sinal de reprovação.

Em termos de chances de gol, porém, o duelo não ofereceu muito aos presentes. Mesmo com bastante animação dos públicos e jogadas em sua maioria agudas, com direção ao gol, faltou aos dois times mais calma na hora de dar o último passe e finalizar, mantendo o 1 a 0 até a descida para os vestiários.

Na volta para o segundo tempo, o Timão poderia ter ampliado a sua vantagem logo de cara, aproveitando-se do bom momento de André e Romero, sempre ganhando as disputas de Bruno Rodrigo e Manoel. Na mais clara, aos cinco minutos, o centroavante ganhou disputa de Manoel e Romero ficou em boa condição para chutar. O paraguaio, no entanto, preferiu tocar no meio de volta para o camisa 9, mandando nas mãos de Lucas França.

O Cruzeiro, a partir dali, passou a mandar no jogo, Mano Menezes mexeu bem ao tirar o volante Cabral para a entrada do atacante Willian. Jogando quase como um armador, o ex-corintiano dominou as ações no meio-campo, rodou a bola de um lado para o outro e não demorou para, aos 21 minutos, achar Rafael Sóbis e boa condição pelo lado esquerdo. O avante ganhou de Fagner e cruzou rasteiro na entrada da área para Ábila acertar belo chute de primeira, no ângulo de Cássio.

Quando parecia que os cruzeirenses rumariam para a virada, no entanto, os donos da casa resolveram mostrar por que entraram em campo com condições de tomar a liderança do Campeonato Brasileiro do arquirrival Palmeiras. Primeiro, aos 25, Bruno Henrique recebeu boa ajeitada de André e chutou forte. Lucas França deixou a bola passar por entre as suas pernas, mas, antes de ela cruzar a linha, conseguiu se recuperar.

Depois, uma série de chances perdidas pelo time da casa. Primeiro Guilherme, aos 30 minutos. O meia recebeu passe de Fagner na marca do pênalti e, livre, conseguiu chutar por cima do gol. Depois, Uendel recebeu pelo lado esquerdo e chutou forte, exigindo boa defesa do arqueiro. Pressionado pela torcida, Cristóvão colocou Marlone no lugar de Romero. O time melhorou ainda mais nos acréscimos, mas Balbuena e depois Yago, ambos de cabeça, desperdiçaram a chance da vitória.

FICHA TÉCNICA CORINTHIANS 1 X 1 CRUZEIRO

Local: estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 8 de agosto de 2016, segunda-feira
Horário: 21h (de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas (PA)
Assistentes: Marcio Gleidson Correia Dias e Helcio Araujo Neves (ambos do PA)
Público: 33.416 pagantes
Renda: R$ 1.326.456,00
Cartões amarelos: Elias, André, Giovanni Augusto, Yago (Corinthians); Ábila, Rafael Sóbis e Lucas (Cruzeiro)
Gols:
CORINTHIANS: Giovanni Augusto, a um minuto do primeiro tempo
CRUZEIRO: Ábila, aos 21 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Yago, Balbuena e Uendel; Bruno Henrique, Elias, Giovanni Augusto (Guilherme) e Marquinhos Gabriel; Romero (Marlone) e André
Técnico: Cristóvão Borges

CRUZEIRO: Lucas França; Lucas, Manoel, Bruno Rodrigo e Edimar; Ariel Cabral (Willian), Henrique, Robinho e Arrascaeta (Rafinha); Ramón Ábila (Marcos Vinícius) e Rafael Sobis
Técnico: Mano Menezes (Gazeta Esportiva)

Comentários

comentários