Convite oficial com texto ambíguo causa crise no Planalto

Estadão Conteúdo/VEJA/JP

O convite não agradou o presidente e foi alterado de última hora (Cristiano Mariz/.)

O convite para a cerimônia marcada para esta terça-feira (15), pelo Palácio do Planalto, com o objetivo de celebrar os dois anos do governo de Michel Temer (MDB), provocou uma crise e teve de ser alterado de última hora. Expedido pelo cerimonial do Planalto, o convite trazia o slogan “O Brasil voltou, 20 anos em 2”.

A mensagem foi considerada desastrosa por auxiliares do presidente, uma vez que, sem a vírgula após o verbo, poderia passar a impressão de que o país regrediu duas décadas com a gestão Temer.

A trapalhada desagradou muito ao presidente. Contrariado, ele convocou o marqueteiro Elsinho Mouco e o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco, para acertar os ponteiros da comunicação do governo.

Apesar de o governo ter completado dois anos no último dia 12, no processo que culminou no impeachment de Dilma Rousseff, a comemoração será realizada apenas nesta terça, às 15h. Quinze é o número do MDB na campanha eleitoral.

O pré-candidato do MDB e ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles participará da cerimônia, seguida por uma reunião ministerial ampliada. Com a mudança de última hora, foram expedidos dois tipos de convite. Meirelles, por exemplo, recebeu a primeira versão.

Outros ministros, por sua vez, receberam o novo convite, que chama o evento apenas de “Maio de 2016/Maio de 2018 – O Brasil voltou” — sem qualquer menção ao lema “20 anos em 2”, que lembra o programa de governo do ex-presidente Juscelino Kubitschek (50 anos em 5), com metas de um projeto desenvolvimentista.

Comentários