‘Convidado a se retirar’ da Câmara foi protestar contra greve prolongada dos professores; Vídeo

O presidente da Associação de Moradores do Jardim Aeroporto, Elvis Rangel, que entre março de 2014 e abril deste ano ocupou a Coordenadoria para Assuntos Comunitários, dos Movimentos Sociais e Populares, foi vaiado e retirado do plenário da Câmara Municipal pela Guarda Municipal nesta quarta-feira, após dois vereadores o colocarem como “inimigo” dos manifestantes da educação.

Rangel contou que foi para manifestar a revolta como pai, já que o filho está sendo prejudicado com a greve dos professores Foto Silvio Ferreira
Rangel contou que foi para manifestar a revolta como pai, já que o filho está sendo prejudicado com a greve dos professores Foto Silvio Ferreira

Ele disse que ficou surpreso com a atitude de Paulo Pedra(PDT) e Luíza Ribeiro (PPS) e prometeu ir à Justiça contra os vereadores que o teriam insultado e dito que seria pau mandado do prefeito Gilmar Olarte (PP) para tumultuar a manifestação na Câmara. “Eles tem a imunidade do mandato, mas vão responder na Justiça”, destacou.

Rangel contou que foi para manifestar a revolta como pai, já que o filho está sendo prejudicado com a greve dos professores. “A paralisação afeta a escola onde o meu filho estuda, ele assiste apenas duas das três aulas por dia. Meu filho pergunta todo dia quando vai ter aula?”, comentou.

Irritado com o coro entoado pelo professores ‘cupincha, cupincha’ que voltaram a lotar o legislativo municipal ele disparou: “Cupinchas são eles, a maioria dos professores estão na sala de aula, esses aí que continuam em greve transformaram o movimento em um ato político, eles são os verdadeiros cupinchas do PT e da Dilma”, afirmou.

Comentários

comentários