Consumidor poderá economizar se pesquisar preços de produtos natalinos, afirma Procon

Consumidores que decidirem ir às compras para as festas de fim de ano  – Natal e Reveillon – poderão ter economia considerável se, antes de adquirir, pesquisar para encontrar os estabelecimentos que ofereçam preços mais acessíveis. É o que demonstra pesquisa realizada pela Superintendência para Orientação Defesa do Consumidor (Procon/MS), órgão da Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Assistência Social e Trabalho (Sedhast), no período de 02 a 10 de dezembro em curso.

A pesquisa foi realizada em oito estabelecimentos:  Assai atacadista (avenida Consul Assaf Trad), Atacadão (avenida Coronel Antonino), Carrefour (shopping Campo Grande), Comper (avenida Mascarenhas de Moraes), Extra Hipermercados (rua Maracaju), Fort Atacadista (rua São Borja), Pag Poko (avenida Pedro Chaves dos Santos) e Supermercado Pires (avenida Marquês de Pombal)

Os levantamentos levaram em consideração 171 produtos em oito estabelecimentos. Do total, os preços de 101 são divulgados pelo fato dos outros 60 serem encontrados em menos de três estabelecimentos. O item com maior variação de preços é o bacalhau do Porto, com 173,25%, enquanto a menor variação, 0,58%, foi do azeite de oliva extra virgem Borges com 250 ml.

O setor de estatística do Procon Estadual estabeleceu termos comparativos entre produtos de mesma apresentação (tamanho, peso e medida) adquiridos no ano passado e os oferecidos atualmente. A planilha constatou 71 itens que apresentam essas características. Desses, 27 apresentam decréscimo e 44 registram aumento. O que demonstra maior acréscimo é pernil suíno com osso, com 48,65% de aumento, enquanto a queda de preço mais considerável foi da lentilha Ponzan de 500g, com queda de 39,62%.

As planilhas da pesquisa você confere abaixo:

CEIA DE NATAL DIVULGAÇÃO

COMPARATIVO ANUAL CEIA DE NATAL

Comentários