Conselho aprova quase R$ 300 milhões em recursos do FCO para projetos de desenvolvimento

Agência Brasil/JN

O Conselho Estadual de Investimentos Financiáveis do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (CEIF-FCO) aprovou na 4ª reunião ordinária de quarta-feira (4.4), R$ 297 milhões em projetos rurais e empresariais que contribuem para o desenvolvimento econômico de Mato Grosso do Sul.

Do total de recursos aprovados, R$ 200 milhões são referentes a cartas consultas em “ad referendum” ou seja, que estão prontos e precisam apenas do conhecimento do Conselho. São 12 propostas com destaque para a implantação da Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Rio Água Clara Energia em Água Clara e Chapadão do Sul, com investimento orçado em R$ 257 milhões e financiamento de R$ 167 milhões.

Destaque também para os R$ 22 milhões em recursos para a implantação e manutenção de uma floresta de eucalipto que será usada para produção de celulose, em Brasilândia. O projeto da empresa Carobá Reflorestamento integra as propostas de financiamento do setor rural que contribuem para a diversificação da economia e desenvolvimento.

Além disso, foram aprovados projetos com pedido de recurso para aquisição de máquinas e implementos agrícolas e custeio de lavouras. Os investimentos serão feitos em municípios como Sidrolândia, Caarapó, Sonora, Rio Brilhante, Água Clara, Dourados e Batayporã.

Entre as cartas consultas do setor empresarial aprovadas nessa quarta-feira (4.4), estão investimentos em piscicultura em Aparecida do Taboado, como a ampliação da unidade da Geneseas e construção de sedes de empresas em Brasilândia e Fátima do Sul. Os projetos somam R$ 24 milhões em recursos do FCO.

O Conselho aprovou ainda R$ 72 milhões de projetos do setor rural, entre eles a implantação de uma granja multiplicadora de suínos pela Cooperativa Agropecuária de São Gabriel do Oeste ( Cooasgo), além da implantação de unidade armazenadora de grãos e construção de aviários.

Presidente do Conselho do FCO e titular da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, destaca que desde 2015 o FCO contribui para o desenvolvimento econômico de Mato Grosso do Sul, financiando importantes projetos em diversas áreas.

Os investimentos em suinocultura, avicultura e armazenagem deram um salto nos últimos três anos com o incentivo e a desburocratização do acesso à linha de crédito. “O FCO se destaca principalmente por auxiliar o crescimento de pequenos produtores do Estado, que com o crédito ganham a oportunidade de se tornarem mais competitivos, além de gerar emprego e renda à população”.

Comentários