Confira o Raio X das quartas de final da Libertadores-2016

Com a definição dos últimos classificados para as quartas de final da Libertadores, os confrontos ficaram definidos e a previsão é de grandes jogos, muita emoção e atacantes afiados, já que todos os times do Top 8 contam com goleadores que estão muito eficazes nesta temporada: Tevez (Boca), Calleri (São Paulo), Nico Freitas (Nacional), Sornoza e José Angulo (I. del Valle), Ruben (Rosario), Sosa e Alcoba (Pumas), Marlos Moreno/Copete (Atl. Nacional) e Pratto (Atlético Mineiro).

LANCEPRESS! - (Brazil Out) - Sao Paulo - 02.05.2013 - Foto de Tom Dib/Lancepress! - Copa Libertadores da America jogo Sao Paulo x Atletico MG - Local: Estadio Cicero Pompeu de Toledo - Morumbi - Na foto jogador Paulo Henrique Ganso(c) e Rever(d)
LANCEPRESS! – (Brazil Out) – Sao Paulo – 02.05.2013 – Foto de Tom Dib/Lancepress! – Copa Libertadores da America jogo Sao Paulo x Atletico MG – Local: Estadio Cicero Pompeu de Toledo – Morumbi – Na foto jogador Paulo Henrique Ganso(c) e Rever(d)

Veja abaixo quais serão os jogos e os detalhes de cada um dos concorrentes ao título continental.

Atletico Nacional (COL) x Rosario Central (ARG)

O único duelo entre times que terminaram como líderes de seus grupos na segunda fase. O Nacional de Medelín, dono da melhor campanha geral, teve muita dificuldade para eliminar o Huracán. Já o Rosario, o pior entre os líderes da fase de grupos, eliminou o Grêmio com duas vitórias convincentes. Será uma partida entre rivais muito qualificados.

Favorito: Atlético Nacional

Pontos fortes – O entrosamento e o bom toque de bola são notáveis. Em casa, trata-se de um time quase infalível. Venceu 19 dos últimos 20 jogos. A defesa é de primeira: nas oito partidas que fez na Libertadores-2016 só foi levar gol na última, contra o Huracán. A fase é a melhor possível. O time vem de festa pelos 69 anos de fundação e lidera o Colombiano (já está classificado para os playoffs) com a melhor defesa, melhor ataque.

Fique de olho – Não bastasse o momento mágico com todo o time em boa fase, o craque Macnelly Torres vem se recuperando aos poucos de lesão. Ele – que é jogador da seleção – não anda entrando desde o início, mas é grande a possibilidade de que isso aconteça contra o Rosario.

Ponto fraco – Embora não seja tradicionalmente um dos gigantes do futebol sul-americano, o Nacional é potência na Colômbia e hoje é considerado o melhor time do continente, principalmente depois da excepcional fase de grupos da Libertadores. Em seu país, há um tremendo oba-oba e ninguém espera menos do que o título. Isso pode ser um peso muito grande.

ROSARIO CENTRAL

Pontos fortes – Trata-se de um time com muita atitude, forte em todos os setores e dono de um ataque poderoso, principalmente por causa do goleador Ruben. O foco está absolutamente na Libertadores, a ponto de o seu treinador escalar reservas no Argentino e comprometer a chance de chegar ao titulo nacional que não ganha desde 1987.

Fique de Olho – Quem quiser eliminar o Rosario precisa anular Marco Ruben. O atacante é o melhor finalizador e um grande assistente. Ele anda decidindo os jogos mesmo sem o companheiro ideal ao seu lado.

Pontos Fracos – Em primeiro lugar, a irregularidade. Considerado por nove entre dez jornalistas esportivos da Argentina o melhor time do país e favorito a tudo, o Rosario costuma se sair muito bem como visitante, mas entra em parafuso quando joga em seus domínios e o gol não sai logo de cara. Os tropeços foram fatais no Argentino e determinantes para o Rosario não ficar com uma das melhores campanhas da fase de grupos da Libertadores. Em segundo, a sensação de que o time é de vidro. Os jogadores principais vivem se lesionando e agora foi a vez de o segundo principal atacante, Larrondo, estar com um problema no joelho direito. Ele não voltará a campo tão cedo.

6tabela
Boca Juniors (ARG) x Nacional (URU)

Superclássico sul-americano e – embora tenhamos São Paulo x Atlético-MG – o jogo de maior representatividade das quartas, aquele que irá parar toda a América Latina em razão da imensa relevância dos gigantes da Argentina e do Uruguai. O Nacional tem 43 participações no torneio (recorde) e é tricampeão continental , além de ter três vices. O Boca Juniors ostenta 26 participações, seis títulos e quatro vices (é o time com maior número de finais)

Favorito: Boca Juniors


BOCA JUNIORS

Pontos fortes – A qualidade ofensiva. O quarteto Lodeiro, Tevez, Pavón e Chávez (além dos atuais reservas Carrizo e Palacios) tiram o sono de qualquer adversário. A larga experiência na Libertadores também pesa a favor dos Xeneizes.

Fique de Olho – O atacante Osvaldo, que quebrou o dedo do pé em fevereiro, não operou por opção dos médicos, já está com a fratura consolidada e liberado para retornar contra o Nacional. Goleador de qualidade , ex-titular da seleção italiana, ele será um reforço de peso para o já fabuloso setor de ataque do time.

Pontos fracos – Embora venha fazendo uma Libertadores consistente, não dá para deixar de lado o fiasco que está sendo a campanha do Boca no Argentino, uma campanha de time pequeno, 16 pontos atrás do líder de seu grupo, cinco vitórias em 13 jogos. O time dá a sensação de se descontrolar sempre que se encontra em dificuldade. E se o ataque é ótimo, a defesa deixa a desejar.

NACIONAL

Pontos fortes – A estrela do atacante Nico López é gigante. Ele chegou no início do ano e acabou com o problema ofensivo do Nacional. É gol decisivo em cima de gol decisivo. Com ele, a confiança aumenta. Outro ponto que merece atenção é a capacidade do time para suportar a pressão. O Nacional saiu de Rosario, do Allianz Parque e da Arena Corinthians sem ser derrotado. Não é para qualquer um.

Fique de Olho – Segundo Ignácio Chans, editor do diário uruguaio “El Observador” , o torcedor sul-americano acompanhará um Nacional guerreiro e ainda mais motivado. Eliminar o favorito ao título Corinthians dissipou qualquer incerteza no elenco sobre a sua capacidade de ir longe. Além disso, não há mais problemas musculares nem de caxumba no elenco. O céu é o limite.

Pontos fracos – Embora tenha se saído bem até aqui tanto na Libertadores quanto no Uruguaio, o sistema defensivo do Nacional nas bolas aéreas é muito falho. O Boca não ataca usando chuveirinhos, mas pode mudar a estratégia para aproveitar esta deficiência. Além disso, o veterano Victorino é lento na cobertura.

Atlético Mineiro x São Paulo

Os dois representantes brasileiros que restaram na competição lutam por uma vaga nas semifinais. O São Paulo vem fazendo campanha irregular, com derrotas incríveis (0x1 The Srongest), vitórias de cair o queixo (4×0 Toluca) e sempre deixando a sua torcida sem saber qual time estará em campo. O Atlético-MG jogou para o gasto na fase de grupos e, quando encarou o primeiro rival de nível (Racing), suou sangue para seguir em frente. Ambos precisam mostrar algo a mais.

Favorito: Atlético Mineiro

ATLÉTICO MINEIRO

Pontos Fortes – Tem jogadores que crescem em decisões. O goleiro Victor, o zagueiro Leo Silva e o atacante Lucas Pratto são três exemplos. Em casa, o time é muito competente e a sua torcida faz a diferença.

Fique de Olho – O atacante Carlos está recuperado de uma cirurgia e virou importante opção para Aguirre. Afinal, a sua presença faz Lucas Pratto voltar para buscar o jogo e isso amplia o leque ofensivo. Deu certo contra o Racing e pode voltar a funcionar na reta final da Libertadores.

Pontos Fracos – O Atlético tem um belo elenco, mas assusta o número de atletas que estão abaixo da expectativa. Marcos Rocha e Leandro Donizete nem de longe lembram os jogadores de 2013/15. Robinho alterna bons jogos (contra pequenos) e más performances (contra grandes). Cazares varia entre a genialidade e os “apagões”. Ficar dependendo das defesas de Victor e da fase excepcional de Pratto jogo sim e o outro jogo também é muito pouco para um candidato ao título. E Luan, machucado, está fora. Desfalque de peso.

SÃO PAULO

Pontos Fortes – Segundo o núcleo São Paulo do LANCE!, a experiência do técnico Edgardo Bauza na competição – é bicampeão – tem fortalecido o time nos últimos jogos. Evoluiu em termos de conjunto e tem Paulo Henrique Ganso em grande fase, sendo lembrado na lista de pré-convocados para a Copa América.

Fique de olho – Calleri é o artilheiro da Libertadores com oito gols e passou em branco contra o Toluca. Centroavante chegou a negociar com o Galo antes de se transferir para o Tricolor paulista, convencido pelo técnico Bauza. Caso não pegue um gancho pesado e encare o Atlético-MG, poderá ratificar que o comandante fez a escolha certa.

Ponto fraco – O Goleiro Denis vive má fase, sendo perseguido pela torcida. O time ainda não venceu fora de casa na temporada, o que presume dificuldade em Belo Horizonte, onde o Atlético é muito forte.


Pumas (MEX) x Independiente del Valle (EQU)

O Pumas mostrou consistência e liderou o decepcionante Grupo 7, terminando em primeiro lugar muito mais por saber aproveitar erros dos rivais Emelec, Olimpia e Táchira. Nas oitavas, deu a sorte de enfrentar o time mais fraco entre os 16, exatamente o Táchira. Perdeu fora (0 a 1) e venceu em casa por 2 a 0 com o gol salvador no finzinho. Já o del Valle é a mais grata surpresa desta Libertadores. Passou pela primeira fase derrubando um semifinalista de 2015, o Guaraní (PAR) e foi o único adversário que fez frente ao Atlético Mineiro no Grupo 5, além de eliminar o Colo Colo. Vem com moral, pois eliminou o atual campeão River Plate.

Favorito: Independiente del Valle

PUMAS

Pontos fortes – O mais evidente é a velocidade com a bola nos pés. Os jogadores parecem corredores de 100 metros. O ataque é perigoso, pois todos arriscam chutes de longa distância, passes rápidos e chuveirinhos. Sosa faz ótima Libertadores, marcou seis gols em seis jogos, sempre mostrando oportunismo. Tem o estilo Hernani Brocador: a bola chega e é chute para o gol. Alcoba é outro jogador perigoso.

Fique de Olho – O Pumas joga a sua sobrevivência no Mexicano neste fim de semana contra o América. Se vencer, vai às quartas de final do torneio nacional. Aí viverá um dilema: como tem elenco reduzido, precisará optar: prioriza a Libertadores, que sempre é vista em segundo plano pelos clubes mexicanos, ou o Clausura? Onde colocar os reservas, dançará.

Pontos fracos – A defesa não inspira confiança na marcação direta. Como o time ataca em bloco e os volantes não ficam apenas lá atrás, a perda de bola causa buracos. Há uma ineficiência ofensiva. O time faz gols, mas erra demais nos arremates. E não é sempre que o adversário deixa o Pumas ter dez chances para acertar uma.

INDEPENDIENTE DEL VALLE

Pontos fortes – A obediência tática é o diferencial maior. A grosso modo, o equatoriano pode ser comparado ao Atlético de Madrid na Liga dos Campeões: fortíssimo esquema defensivo, um goleiro que é paredão, quase sempre termina os jogos com menor posse de bola, mas compensa isso com objetividade no ataque, o que garante vitórias apertadas em casa e empates como visitante. Sornoza e José Angulo estão voando e fazendo gols (oito dos 11 do time). Outro ponto é a total confiança que jogadores e diretoria têm no técnico Pablo Repetto, que há quatro anos comanda o entrosado del Valle.

Fique de Olho – O meia Cabezas é o desafogo de quase todos os lances, pois auxilia Sornoza no apoio e chega para ajudar José Angulo. E tem também Orejuella, cão de caça com ótima saída de bola que é um dos melhores volantes desta Libertadores.

Pontos fracos – O elenco é a “conta do chá”. Tem um goleiraço, dois defensores de seleção, um volante brilhante, um meia que carrega o piano com muita qualidade e outro que coloca a bola onde quer e, por fim, um atacante que logo estará jogando na Europa. Os titulares que sobraram tentam não comprometer. Se o treinador tem um desfalque, o seu banco de reservas é desesperador. A inexperiência em competição de alto nível também pode pesar na hora H. (TERRA)

Comentários

comentários