Comitiva com senadores governistas do Brasil desembarca na Venezuela

Na segunda visita de senadores brasileiros à Venezuela em uma semana, uma comitiva integrada por Lindbergh Farias (PT-RJ), Telmário Mota (PDT-RR), Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) e Roberto Requião (PMDB-PR) desembarcou no aeroporto internacional de Caracas por volta das 22h30 locais (0h de quinta-feira em Brasília).

Comitiva governista antes de embarque - Reprodução / Twitter/Roberto Requião Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/mundo/comitiva-de-senadores-governistas-desembarca-nesta-quarta-feira-em-caracas-16543502#ixzz3e4gqwqq3  © 1996 - 2015. Todos direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A. Este material não pode ser publicado, transmitido por broadcast, reescrito ou redistribuído sem autorização.
Comitiva governista antes de embarque – Reprodução / Twitter/Roberto Requião.

Após viajar a bordo de um avião da FAB, a delegação -mais sintonizada com a política externa da presidente Dilma Rousseff do que a primeira- foi recebida pelo embaixador do Brasil na Venezuela, Ruy Pereira, e por funcionários do cerimonial da Chancelaria venezuelana.

Com batedores e comboio de segurança transitando pela estrada quase livre, a comitiva com os quatro senadores levou apenas 35 minutos para chegar ao hotel, no centro de Caracas.

Na quinta-feira da semana passada, uma comitiva de oito senadores opositores liderada por Aécio Neves (PSDB-MG) não conseguiu sequer sair da área do aeroporto e teve de voltar a Brasília após seis horas de confusão.

O comboio que levava os senadores foi hostilizado por manifestantes chavistas numa área ainda próxima dos terminais. Os batedores não reagiram. Em seguida, a comitiva foi impedida de acessar a estrada que leva até o centro devido a um grande congestionamento causado por um bloqueio policial.

O governo negou ter bloqueado a acesso dos senadores e deu várias justificativas, entre elas a de que um acidente com caminhão havia trancado a vida. Houve, de fato, um incidente com uma carreta que tombou às 6h mas acabou recolhida duas horas depois. Os senadores chegaram ao meio-dia.

Eles pretendiam chegar ao presídio de Ramo Verde, nos arredores de Caracas, para tentar visitar o opositor Leopoldo López, detido há mais de um ano por instigar protestos antigoverno.

Ao chegar em Caracas nesta quarta, a senadora Grazziotin criticou a comitiva anterior por suposta ingerência na política interna da Venezuela.

“Não cabe a nós, senadores, acirrarmos qualquer disputa entre situação e oposição”, disse.

“A primeira comitiva veio com o objetivo claro de reforçar a oposição. Nós estamos aqui para ouvir todos os lados”, disse Grazziotin.

Nesta quinta-feira, os senadores terão encontros com parentes de pessoas mortas em decorrência das violentas manifestações opositoras, com parentes de opositores presos, com membros da oposição moderada e com deputados chavistas.

A comitiva deve embarcar de volta ao Brasil ainda nesta quinta.

Os senadores irão preparar um relatório sobre a situação venezuelana que será apresentado no Senado.

Folha.com

Comentários

comentários