Comissão promete devassa no IPMCG para identificar onde foi parar o dinheiro que desapareceu

Desfalque no Instituto de Previdência é de R$ 118 milhões
Vereadores prometem devassa no financeiro do IMPCG. (Foto: Bruno Ribeiro/Divulgação)

Os vereadores membros da Comissão Especial para Acompanhamento e Reestruturação do Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande ( IMPCG) prometem fazer uma devassa em documentos para identificar onde foi para o dinheiro que desapareceu.

O rombo existente nos cofres do Instituto somam R$ 118,780 milhões, este desfalque é alvo também de investigação do Ministério Público Estadual. A denúncia do sumiço dos recursos foi feita pelo deputado estadual Coronel David (PSC), em julho do ano passado. Os vereadores do mandato anterior ensaiaram montar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), mas a proposta ficou travada e não seguiu a diante principalmente por conta do período eleitoral.

A comissão é formada pelos vereadores: Henderson Fritz (PSD) como  presidente, Enfermeira Cida (PTN) como relatora , e os membros Pastor Jeremis (PTdo B) , William Maksoud Neto (PMN), Francisco Gonçalves de Carvalho, o Chico Veterinário (PSB), e Lívio Leite (PSDB).

OS vereadores vão solicitar  ao IMPCG, através de oficio, cópias dos livretos fiscais e diários dos anos de 2010 a 2016. Esse período vai além, inclusive, dos anos em que houve deficit. De acordo com as apurações já em andamento, o problema aconteceu entre 2012 e 2016.

O saldo em 2012 na conta do instituto era de R$ 110,651 milhões, mas esse valor foi reduzido drasticamente para R$ 32,780 milhões, em dados divulgados em setembro do ano passado. Os superávits que eram registrados passaram a números negativos a partir de 2013.

A primeira reunião da comissão para discutir os trabalhos e definição de cargos aconteceu na última quarta-feira (4), na Câmara dos Vereadores.

 

Comentários