Comissão para acompanhar incêndios no Pantanal é instalada

Da Redação

A Comissão Temporária Externa para acompanhar as ações de enfrentamento aos incêndios no Pantanal foi instalada na tarde desta quarta-feira (16), em reunião remota. O senador Wellington Fagundes (PL-MT) foi eleito presidente e o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), relator. O colegiado é composto também pelas senadoras sul-mato-grossenses Simone Tebet (MDB) e Soraya Thronicke (PSL). A primeira diligência já foi marcada para o próximo sábado, dia 19. A segunda visita in loco será em Corumbá, no Mato Grosso do Sul, na outra semana. A data ainda será confirmada. A Comissão está prevista para durar 90 dias.

A senadora Simone Tebet lembrou que o Pantanal ocupa 1/4 do Mato Grosso do Sul e que o dano das excessivas queimadas já consumiu 20% do bioma. Além do impacto ambiental e para a população pantaneira, há o prejuízo econômico para o estado. “Essa comissão é pequena porque ela tem que ser proativa, rápida, emergencial. Ela vai apresentar para o País, através de uma legislação, de um Estatuto, seja do que for, uma saída, uma solução, para que no ano que vem nós possamos estar comemorando a vida que pulsa no Pantanal”, disse. A senadora ainda ressaltou que o problema do fogo no Pantanal são os incêndios criminosos. “É a mão do homem no momento errado, na hora errada, como está acontecendo”, constatou.

Diligências

No Mato Grosso, a Comissão vai a Poconé e Porto Cerrado já no próximo sábado. Estão programadas visitas ao posto fiscal e espaço de acolhimento dos animais; representantes de proprietários de fazendas e pousadas, ONGS e cientistas; sobrevoo de helicóptero na região afetada pelas queimadas; e reunião com as equipes que estão atuando na região.

O senador Nelsinho Trad, relator da Comissão, deve apresentar em breve o plano de trabalho e também sugeriu que a primeira diligência de Mato Grosso do Sul ocorra em Corumbá. A cidade está tomada pela cinzas das queimadas.

O presidente da Comissão, senador Wellington Fagundes, disse que o fogo já consumiu 3 milhões de hectares de incêndio no Pantanal nos dois estados. Ele também lamentou que Cuiabá, capital de MT, está tomada pela fumaça, gerando dano à saúde pública de modo geral.

União ruralistas e ambientalistas

A senadora Simone Tebet também disse que foi surpreendida positivamente pela aliança inédita entre ONGs e agronegócio em prol da proteção da Amazônia. “Não imaginava que viveria para ver o início da união de entre ambientalistas e ruralistas, apresentando propostas para a questão do desmatamento da Amazônia. Muito dessa seca do Pantanal advém do que ocorre na Amazônia”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui