Comissão Europeia faz estudos sobre legalização da maconha para fins medicinais

Agência EFE

uso do canabidiol como medicamento já foi aprovado em vários países (Foto: divulgação/Anvisa)

A Comissão Europeia (CE) segue estudando, através de relatórios de especialistas, se deve ou não legalizar a maconha para fins medicinais no bloco europeu, explicou nesta segunda-feira (19) uma representante do organismo em um debate sobre esta questão na Comissão de Meio Ambiente do Parlamento Europeu. A informação é da EFE.

“Surgem muitos pontos de vista e opções. A Organização Mundial da Saúde (OMS) e outras instituições estão há anos trabalhando nisso. Alguns relatórios dizem que é conveniente e outros que é o contrário. Por isso, é preciso se aprofundar nas pesquisas”, explicou a especialista da CE sobre delitos ambientais, Paola Mazzarini.

A representante da Comissão Europeia se pronunciou assim em resposta a uma pergunta elaborada pela eurodeputada Estefanía Torres, do partido político espanhol de esquerda “Podemos”, que defendeu a regularização medicinal da cannabis porque “acabaria com os impedimentos à pesquisa médica e melhoraria a qualidade de vida de muitos doentes”, apontou.

No mesmo debate, a eurodeputada do Partido Popular espanhol, Pilar Ayuso, opinou que dado os diferentes resultados dos relatórios elaborados pelas distintas organizações internacionais, é preciso iniciar “uma pesquisa de verdade, que nos demonstre o verdadeiro valor terapêutico” da planta.

O uso medicinal de cannabis já está regularizado dentro da União Europeia em países como Bélgica, Áustria, Itália, República Tcheca, Polônia, Macedônia, Croácia e Alemanha.

Comentários