Comissão Especial da AL para apurar denuncias em MS realiza primeira reunião

Lúcio Borges

Foto: Wagner Guimarães

A primeira reunião da Comissão Especial para apurar denúncia de eventual crime de responsabilidade do governador do Estado foi realizada no fim da tarde desta terça-feira (30), após a nomeação dos membros pela manhã e da escolha da direção do colegiado. A presidência ficou com o deputado Paulo Correa (PR) e a relatoria com Flavio Kayatt (PSDB) no grupo criado pelo ato 3/2017, da Mesa Diretora, publicado no Diário Oficial da última quinta-feira (25), atendendo ao Requerimento 2320/2017, aprovado pelo Plenário no dia 23 de maio de 2017. O grupo tem cinco componentes, mas neste primeiro contato, até para eleger ‘diretoria’ contou com a participação do presidente da Casa de Lei, Junior Mochi, e lideres de blocos que compõem e representam os partidos.

A Comissão tem como membros titulares, além de Corrêa e Kayatt, os deputados Eduardo Rocha (PMDB), Marcio Fernandes (PMDB) e Pedro Kemp (PT).  “Os titulares votaram, me elegeram presidente, Eduardo Rocha, vice e a relatoria ficou para o deputado Flavio Kayatt. A comissão está montada e teremos os trabalhos todos abertos à população para que não paire dúvidas sobre a lisura deste processo. Serão realizadas reuniões no Plenarinho da Casa, toda quarta-feira, às 15h30”, afirmou Correa.

Sobre o objeto de investigação, Paulo Corrêa foi enfático. “Constituiremos toda a Comissão e assessoria para verificar, em primeiro lugar, as denúncias do grupo JBS contra o governador Reinaldo Azambuja. Iremos convidar a Ordem dos Advogados do Brasil, seccional Mato Grosso do Sul (OAB/MS), o Ministério Público Estadual (MPE-MS), e a população em geral, para que seja feito um trabalho tranqüilo em que as pessoas possam ter acesso às decisões que vamos tomar”, ressaltou.

Quanto ao prazo de existência da Comissão Especial, o deputado informou que não há uma data prevista. “Vamos fazer o processo o mais rápido possível, mas precisamos ter uma liberdade de atuação, nós queremos ser informados oficialmente. A primeira providência já aprovada é o envio de um requerimento para o ministro do Supremo Tribunal Federal  {STF}, Edson Fachin, para que ele possa fornecer dados oficiais dessa denúncia que foi feita pela JBS. Então teremos uma cópia dessa delação premiada para trabalharmos com fatos reais e aí nós vamos tomar as providências cabíveis”, citou Corrêa.

Segundo Paulo Corrêa, tanto as Secretaria de Governo quanto o próprio Governador do Estado já se colocaram à disposição para esclarecimentos. “Em um primeiro momento a gente pesquisa. No segundo chamamos as pessoas para virem aqui depor. Isso vai ser feito abertamente com o com o apoio da imprensa. A informação será democratizada para que todo mundo saiba o que está sendo feito pela Assembleia Legislativa”, relatou o presidente.

Comentários