Comissão de Ética espera resposta formal de Luiza Ribeiro sobre declarações ao GAECO

Na primeira reunião à frente da Comissão de Ética da Câmara de Vereadores realizada nesta quarta-feira (9), o vereador Alex do PT anunciou que as últimas defesas por escrito do vereadores envolvidos na Operação Coffee Break do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado) que apura suposta compra de votos para cassação do prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), em março do ano passado foram entregues à comissão.

Foto Silvio Ferreira
Foto Silvio Ferreira

Os vereadores investigados são: Airton Saraiva (DEM), Mario Cesar (PMDB), Carlão (PSB), Gilmar da Cruz (PRTB), Chocolate (PTB), Paulo Siufi (PMDB), Edil Albuquerque (PMDB), Jamal Salem (PR), Edson Shimabukuro (PTB).

O vereador Mário César solicitou à Comissão, cópias de toda a documentação levantada pelo Gaeco (Grupo Especial de Atuação Contra o Crime Organizado) do Ministério Público Estadual, solicitação que foi acolhida pelos integrantes da comissão, segundo o vereador, “em concordância com os direitos de ampla defesa e direito ao contraditório”, afirmou Alex do PT.

A solicitação será encaminhada ao MPE. De acordo com o novo presidente da Comissão de Ética, “não é possível se estipular prazos para o fim dos trabalhos no caso dos vereadores investigados na Coffee Break. Nós iniciaremos a análise das defesas por escrito dos vereadores que já devem apresentar elementos suficientes para um posicionamento dos integrantes da comissão.”

Luiza Ribeiro

O vereador anunciou ainda que a vereadora Luiza Ribeiro (PPS) receberá uma solicitação da comissão para que se pronuncie oficialmente sobre as afirmações feitas pela parlamentar em depoimento ao Gaeco, em que a vereadora denúncia um esquema de irregularidades que seria comandado pelo ex-governador André Puccinelli (PMDB) e cita diversos vereadores como envolvidos. Um vídeo do depoimento que vazou, sem que se tenha identificado o responsável, foi amplamente divulgado e os colegas da vereadora passaram a cobrar a abertura de um processo por quebra de decoro contra a vereadora, que não apresentou provas de suas acusações.

O ex-presidente da comissão de Ética e agora presidente da Câmara, João Rocha chegou a afirmar que a vereadora não sofreria a abertura do processo, mas Alex preferiu “não colocar a carroça à frente dos bois” e anunciou que a comissão vai esperar uma resposta formal da vereadora antes de a comissão anunciar qualquer medida cabível”, concluiu.

Substituições

João Rocha ocupava a função, mas renunciou para ser dirigente do Legislativo. Rocha teve que renunciar também às vagas que ocupava em outras comissões. Na que cuida da Educação que o substituiu foi Flávio César (PTdoB), Orçamentos e Finanças ficou com Mario Cesar (PMDB) e na de Indústria e Comércio o peemedebista Edil Albuquerque está em seu lugar.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários