Comissão cobra informações do Gaeco e sinaliza inocentar nove vereadores

O relator da Comissão de Ética da Câmara, vereador Airton Saraiva (DEM) declarou que “de posse de 80% da documentação que deve ser compartilhada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público Estadual, até esse momento, existe uma tendência [sinalizando, veladamente, pela possibilidade de arquivamento das ações que analisam se houve quebra de decoro por parte de nove vereadores investigados pelo suposto envolvimento em um esquema de negociação de votos no processo que cassou Alcides Bernal em 2014].

Alex do PT declara que não pode contraditar a declaração do relator Foto Silvio Ferreira
Alex do PT declara que não pode contraditar a declaração do relator Foto Silvio Ferreira

De acordo com Saraiva, “a comissão não tem informações sobre movimentações bancárias por exemplo, que esperamos, apareçam quando os 20% de documentos que o Gaeco deve compartilhar forem apresentados. Não posso antecipar o parecer final, mas se esses dados não forem apresentados, o parecer pode ser um [pelo arquivamento], se os documentos forem apresentados, o parecer pode ser outro [pelo indicativo de cassação dos vereadores investigados]”, considerou, evasivo.

O presidente da comissão, vereador Alex do PT declarou: “não posso contraditar a declaração de nosso relator, mas a comissão depende das informações que ainda devem ser compartilhadas pelo Gaeco, que podem indicar inclusive, a necessidade de prorrogação dos trabalhos da Comissão durante o recesso da Câmara. Isso só será definido após o compartilhamento e análise preliminares desses documentos do MPE que ainda faltam, que representam um volume considerável de informações”, concluiu.

Questionado sobre a possibilidade de incluir no processo, os nomes de mais quatro vereadores – já que informações mais recentes dão conta de que o Gaeco deve pedir o afastamento de 13 vereadores -, Alex não descartou a possibilidade e a condicionou a “o que as informações a serem compartilhadas pelo Gaeco ainda trarão em termos de fatos novos para a investigação. Só poderemos definir algo depois disso”, explicou.

O relatório final da Comissão de Ética deve ser apresentado na próxima terça-feira, 22, último dia dos trabalhos legislativos na Câmara Municipal.

Silvio Ferreira

Comentários

comentários