Comemorações de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro são marcadas de fé, amor e devoção

Aproximadamente 5 mil pessoas são esperadas durante o dia de hoje nas celebrações da 76° Festa da Padroeira, que acontece na Igreja Nossa Senhora Perpétuo Socorro em Campo Grande. O penúltimo dia das comemorações teve início com a vigília das 1h à 8h de hoje (27). O festejo continua durante toda a tarde com novena, terço e missa.

O reitor do Santuário Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, Padre Dirson Gonçalves, comenta que a cada ano o culto a Mãe de Deus ganha cada vez mais adeptos, “nós tivemos que criar mais cinco horários para a novena por conta dessa demanda porque não cabiam mais pessoas dentro da igreja”. Em 2015, os devotos comemoram 150 anos da descoberta da pintura que deu início a adoração e isso fez o padre sentir uma diferença na disposição dos participantes, “tem uma energia mais forte”.

Para cada fiel Nossa Senhora do Perpétuo Socorro tem um significado especial. No caso de Fernanda Fróes, de 31 anos, ela representa a cura do filho que em 2009 aos 2 meses de vida teve uma grave pneumonia e chegou a ficar internado no CTI (Centro de Tratamento e Terapia Intensiva), “eu vim entreguei na mão dela e hoje meu filho está com seis anos, super saudável, nunca mais teve problemas”.

IMG_20150627_104018
Para as amigas Fernanda, Dayane e Brunella a santa significa amizade.

Em outro momento, em 2013, Fernanda conta que começou uma novena pois estava desempregada há 3 meses e começou a desenvolver um quadro de depressão, “pedi por trabalho e por um relacionamento que me trouxesse crescimento, um aprendizado”. Em menos de uma semana ela conseguiu trabalho em um escritório de certificação digital, e depois de duas semana começou a namorar, “eu comecei a novena chorando mas hoje venho só agradecer”. Ela e o namorado vão juntos todas às quartas ao Santuário.

Foi no trabalho que Fernanda conheceu as amigas Brunella Meura, 28, e Dayane Trindade, 29, que também tem uma forte ligação com a santa, “eu cresci nesse lugar, fui batizada aqui, então quando venho sinto uma paz muito grande, volta toda aquela coisa da infância”, explica Brunella. Mesmo com o corre corre do dia a dia ela faz questão de ir trocar umas palavrinhas com sua santa do coração sempre que pode.

A devoção é o conforto da saudade no caso de Dayane, “moro em Campo Grande há dois anos e sinto muita falta dos meus pais que ficaram em Bandeirantes”. Completando 29 anos hoje (27), Dayane conta que foi buscar uma benção especial junto com as amigas, “o bom é que uma acaba levando a outra”, diverte-se.

A possibilidade da santa se tornar a padroeira do Estado anima muito ao Padre, “é um grande sonho nosso”, diz. No interior de Mato Grosso do Sul sete cidades já a adotam como padroeira, “se alcançarmos essa graça serei eternamente feliz”.

A partir das 7h deste domingo ocorre a tradicional missa de bençãos dos motoristas seguida da carreata e bençãos dos carros. O taxista, Fernando Dudu, afirma que sua presença é garantida e dispara o conselho, “temos que procurar a Deus enquanto é tempo”.

A partir das 18h30 tem início a procissão e logo após a missa campal que encerra o evento.

Luana Campos

Comentários

comentários