Comédia com Heloísa Périssé é a atração no autocine deste domingo

Da Redação

O Autocine Campo Grande traz para a telona da sétima edição do projeto a exibição do filme nacional “O Diário de Tati”, com a atriz Heloísa Périssé. A exibição gratuita será neste domingo (23 ), às 18 horas, na Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). Mas só poderá assistir quem retirou os ingressos sexta-feira (21), na Praça dos Imigrantes.

O projeto é realizado pelo Governo do Estado, por meio de sua Fundação de Cultura (FCMS); Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e o Serviço Social do Comércio (Sesc).

As sessões drive-ins tem proporcionado muito encanto e nostalgia ao público, já que estava sem funcionamento há mais de três décadas. Aos mais velhos trazendo boas lembranças de tempos passados e aos mais jovens proporcionando uma nova experiência de lazer em tempos de pandemia.

“Desde criança eu sempre imaginei o Autocine funcionando, e em tempos tão difíceis esse projeto tem sido uma grande alternativa de acesso cultural seguro para todos. Foi uma experiência linda e emocionante poder viver essa ‘viagem’ pelos antigos cinemas de Campo Grande”, conta Luana de Souza, 22 anos, técnica em prótese dentária, após ir pela primeira vez a um cinema drive-in.

Sinopse

“Diário de Tati” (Brasil/2012/90min/comédia/Livre) com direção de Mauro Farias, conta a história de Tati (Heloísa Périssé) que escreve tudo no seu diário, onde relata detalhes do verão em que ficou de recuperação na escola e suas tentativas de esconder da sua mãe o boletim. Durante esse período, a garota conheceu Anita (Márcia Cabrita), a nova e espirituosa namorada do seu pai. Foi neste verão também que ela sofreu por amor, pensando em Zeca (Thiago Rodrigues), o rapaz mais bonito da escola. Tati tem muitas histórias para contar: suas neuroses, brigas com a mãe, as cantorias do pai, as disputas com as amigas, um novo amor (Marcelo Adnet) e muitas outras confusões.

Autocine

Foi criado em 1972 e funcionou durante 17 anos no mesmo local, ao lado do estádio Morenão. Inicialmente pertenceu à Rede Pedutti, responsável por escolher os filmes exibidos e por contratar funcionários, O valor da entrada era revertido para a compra de livros da Biblioteca Central da UFMS. Ficou mais de 31 anos desativado e voltou as atividades em junho de 2020 com entrada franca devido a pandemia do Covid-19, como uma opção de entretenimento.