Com proximidade da Black Friday, Procon/MS está de olho na divulgação de “promoções”

Nádia Nicolau

O superintendente do Procon de Mato Grosso do Sul, órgão responsável por Orientar e defender o consumidor, Marcelo Salomão esteve no Tribuna Livre desta segunda-feira (18), e falou sobre as recentes ações entidade que, inclusive, já está de olhos bem abertos em um dos maiores eventos de compras do país cada vez mais tradicional nessa época, a Black Friday, que neste ano será realizado no próximo dia 29 de novembro.

Com o fim do ano se aproximando, Salomão adiantou que o Procon Estadual está atento aos valores das mensalidades de escolas particulares, e também uma pesquisa relaciona a precificação repassada ao consumir do etanol.

A redução da alíquota, de 25% para 20%, faz parte do pacote fiscal do governo e foi publicada, na última semana, no Diário Oficial De Mato Grosso do Sul. “Estamos em tratativas com o Sinpetro [Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo e Lubrificantes MS] para notificar as distribuidoras e fiscalizar se houve redução”, disse o superintendente.

Uma das ações rotineiras do Procon é a fiscalização em supermercados, seja para verificar preços (ou ausência dele), prazos de validade e má qualidades de produtos. “Entre estabelecimentos atacadistas ou de varejo, já atendemos mais de 25 mil consumidores esse ano”, afirmou Salomão.

Esse alto índice de atendimento é atribuído, segundo Marcelo Salomão, ao aumento de confiança da população. “As pessoas estão acreditando mais”.

Black Friday – De acordo com Salomão, 68% das compras durante a Black Friday são realizadas de forma não presencial, ou seja, pela internet. “Tem que tomar muito cuidado, o Procon está monitorando os sites”.

Há algumas dicas para prevenir: Observar se na página do site de compras há um “cadeado” na parte superior (local do endereço eletrônico), o que mostra se a página é segura ou não; guarde documentos; tire ‘print’ de telas; e faça pesquisas antes de concluir a compra.

Em relação as compras virtuais, Marcelo Salomão lembrou que “há 7 dias para se arrepender”. Ele também alertou que a prática de venda casada condicionada é proibida.

Procon legal, comércio legal – Para além das passagens pelos comércios da região central da cidade, o superintendente do órgão de Orientação e defesa do consumidor declarou que por meio do projeto “Procon legal, comércio legal”, as informações essenciais de relações de consumo são repassados, também, ao comerciantes dos bairros que, nas palavras de Salomão, muitas vezes é leigo sobre a legislação.

Durante as visitas do Procon a esses estabelecimentos são levados o Código de Defesa do Consumir e placas informativas. “Os consumidores se sentem mais protegidos”.

Serviço – O Procon/MS atende das 07h às 19h e está localizado na Rua 13 de junho, nº 930 (esquina com a Rua Maracaju), centro. Disque Denúncia – 151.

CLIQUE AQUI para conferir a entrevista completa.

Comentários