Com prisão preventiva decretada, João Amorim poderá ser considerado foragido

O empresário João Amorim, que teve a prisão preventiva decretada na manhã desta quinta-feira (07), na 3ª fase da Operação Lama Asfáltica – Aviões de Lama, ainda não foi preso e poderá ser considerado foragido.

Segundo o delegado Regional de Combate ao crime Organizado, Cleo Mazzotti, Edson Giroto, Flávio Henrique Garcia Scrocchio e Amorim, tiveram as prisões preventivas decretadas. Giroto foi preso na manhã de hoje em sua residência, Scrocchio se apresentou à polícia e Amorim ainda não foi localizado. “Já entramos em contato com a defesa e estamos negociando para que ele se entregue. Caso descumpra o combinado, ele será considerado foragido”, explicou.

Foto: Kerolyn Araújo
Foto: Kerolyn Araújo

A informação que foi repassada à polícia é que João Amorim, que foi solto há duas semanas, está viajando.

Operação

A 3ª fase da Lama Asfáltica surgiu após a polícia analisar documentos apreendidos na 2ª fase. Por meio deles, foi constatado que o trio vendeu um os aviões que era investigado na operação por R$ 2 milhões. Uma parte do pagamento da aeronave foi feita com um outro avião avaliado em R$ 350 mil e quatro cheques totalizando o valor de R$ 500 mil. “Dessa maneira, eles pulverizavam o dinheiro, dificultando o rastreamento desse valor”, explicou Mazzotti.

Comentários

comentários