Com números alarmantes de feminicídio em MS, subsecretária afirma “Precisamos sensibilizar a população”

Nádia Nicolau

Para falar sobre as diversas ações que serão realizadas, em Campo Grande, alusivas à Campanha Estadual de Combate ao Feminicídio, a subsecretária de Políticas Públicas para Mulheres de Mato Grosso do Sul, Giovana Corrêa, participou do Tribuna livre desta sexta-feira (31).

A programação começa nesse sábado (1°) com uma caminhada. Durante toda a primeira semana de junho haverá, ainda, debates e palestra. “O Parque dos Poderes foi escolhido por ser uma pauta que envolve todos os poderes. Todos estão envolvidos na Campanha e precisamos sensibilizar a população”, disse Giovana.

Conforme a subsecretária, esta iniciativa é emblemática, mas as ações acontecem o ano inteiro. Ela afirmou, também, que dos 79 municípios do Estado, apenas 43 possuem Coordenadoria da Mulher.

“Nós precisamos falar, porque o feminicídio é uma morte evitável e despertar na mulher que sofre esse ciclo de violência que ela precisa sair. Não podemos naturalizar isso”, destacou.

O ato de denunciar é essencial

“As pessoas ficam no dilema ‘será que me envolvo?’ O feminicídio não acontece no tiro que mata ou no machado na cabeça, mas na omissão ao não fazer nada. Sou otimista em relação a nova geração. Temos o projeto Maria da Penha vai às Escolas e os meninos querem participar”.

Desde que a lei entrou em vigor, 125 mulheres foram vítimas de feminicídio em Mato Grosso do Sul e 169 foram vítimas de feminicídio na forma tentada. Em Campo Grande, foram 25 mulheres assinadas neste período.

O feminicídio (homicídio praticado contra a mulher pelo fato dela ser mulher, baseado na questão de gênero) foi tipificado em 2015, pela Lei 13.104, que alterou o Código Penal Brasileiro.

Programação:

No dia 1º de junho, às 8h, haverá uma caminhada que contará com a participação da madrinha da campanha, a atriz, modelo e ativista da causa, Luiza Brunet, com concentração na frente da Governadoria, no Parque dos Poderes.

Na segunda-feira, dia 3 de junho, a Câmara Municipal promove, a partir das 19 horas, Audiência Pública sobre o tema.

A Lei estadual nº 5.202, de 30 de maio de 2018 instituiu o dia 1º de junho como o “Dia Estadual de Combate ao Feminicídio”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui