Com BMG, camisa do Vasco valerá mais R$ 5 milhões em relação a 2018

Lancepress/JP

Banco BMG será o patrocinador master do Vasco (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)

Após um ano sem nenhum patrocinador master, o Vasco chegou a um acordo para estampar a marca da BMG na parte nobre da camisa cruz-maltina. As negociações lideradas pelo presidente Alexandre Campello, como o LANCE! já havia noticiado, vão render R$ 8 milhões de reais nesse ano para a equipe e o acordo, apesar de assinado, ainda não foi anunciado oficialmente por conta de debates em cima dos valores de bônus.

De acordo com o LANCE!, na verdade, o valor acordado entre Vasco e BMG é de R$ 9,5 milhões por ano, mas que, como o contrato foi assinado no terceiro mês do ano, o Vasco só vai receber oito milhões de reais. O valor se explica por uma razão de proporcionalidade feita pelo banco: 9,5 milhões dividido por 12, número de meses de um ano, dá cerca de R$ 791 mil. Portanto, cerca de 1,5 milhão de reais foram ‘cortados’ neste primeiro ano de contrato.

Apesar dessa diferença de R$ 1,5 milhão, os patrocínios do Vasco na atual temporada, mesmo em março, já superam os valores somados do ano passado. O somatório de 2019 indica uma quantia de R$ 18,5 milhões líquidos, enquanto que os de 2018 eram de R$ 13,5 milhões. É importante ressaltar que essa conta não inclui valores de patrocínios pontuais, que duram, por exemplo, apenas uma partida.

Os R$ 5 milhões de diferença podem ser explicados pela presença de um patrocínio master. Apesar do valor do Banco BMG ser menor do que a quantia que o Vasco recebia da Caixa, última patrocinadora master, que era de R$ 11 milhões por ano, é importante ter a parte principal da camisa ocupada. Ainda mais no momento financeiramente instável do país em si, o Cruz-Maltino consegue manter rendas ativas.

O somatório dos dois anos também não inclui o valor da GPI, que é estampada na omoplata do uniforme. A empresa dirige o Colégio Vasco da Gama, com um investimento total de R$ 4,5 milhões por ano, o que faz o Cruz-Maltino economizar esse valor. Como o clube de São Januário não recebe esse valor – já que o GPI tem autonomia para investir diretamente nas escolas -, a quantia não entrou na conta.

Comentários