Com ataque apagado, Botafogo perde da Chapecoense, mas segue no G-6

Quem pensou que a Chapecoense viria para o jogo contra o Botafogo despreocupada em função do jogo decisivo pela semifinal da Copa Sul-Americana, contra o San Lorenzo, na próxima semana, se enganou. Jogando na Arena Botafogo, os catarinenses mostraram muita personalidade, anularam os cariocas e saíram com uma importante vitória pelo placar de 2 a 0. Se serve como recompensa, os mandantes ainda vão terminar a rodada no G-6.

ESPN
ESPN

SEGUE A SECA DE GOLS

Apesar de estar invicto há sete partidas, com a melhor defesa entre todas as equipes no segundo turno, um pequeno jejum incomodava o time de Jair Ventura. Eram 204 minutos sem balançar as redes, com dois jogos seguidos sem marcar – Coritiba e Flamengo. Agora, já 294 minutos sem uma bola na rede.

E não havia rival melhor para o jejum acabar. Com o adversário com as atenções voltadas para a Sul-Americana, a Chapecoense ainda trazia consigo o retrospecto de segunda pior defesa da competição, perdendo apenas para o Santa Cruz. Mas, nada disso adiantou. Agora já são três jogos seguidos sem balançar as redes.

QUEBROU A SEQUÊNCIA

A derrota ainda foi um baque para o time carioca. Muito elogiado nesse segundo turno, o Botafogo vinha de uma sequência de sete jogos sem ser derrotado. O último revés havia acontecido contra o América-MG, fora de casa. Agora, nos momentos decisivos para ir à Libertadores, um revés inesperado.

OLHA O KEMPES

Poucas chances e muita marcação. Essa foi a tônica do primeiro tempo entre as duas equipes. O Botafogo tomava mais a iniciativa da partida, mas esbarrava na boa marcação da equipe de Santa Catarina, que se aproveitava dos contra-ataques e das jogadas de bola parada.

E foram os visitantes que criaram as melhores chances. Aos 25 minutos, após cobrança de escanteio, Sidão deu um tapinha salvador na bola que evitou que Kempes, livre, colocasse para dentro do gol. No lance seguinte, o mesmo Kempes aproveitou jogada pela esquerda, desviou com a cabeça e por pouco a bola não entrou no canto.

Mas, de tanto insistir, uma hora a bola entrou. Aos 32 minutos, o atacante Kempes, que já havia desperdiçado duas boas chances, não perdoou. Cleber Santana cobrou falta pela direita e ele colocou a cabeça na bola para desta vez conseguir balançar a rede.

O Botafogo tentou dar o troco em uma cobrança de falta com Camilo, mas a bola caprichosamente bateu na trave e não entrou. Foi o melhor lance dos cariocas na primeira etapa.

FECHOU O CAIXÃO

O Botafogo começou o segundo tempo dando impressão que conseguiria o gol de empate. Logo no primeiro minuto, Rodrigo Pimpão foi lançado, chutou, mas Danilo fez grande defesa. Aos 12 minutos foi a vez de Neílton receber, chutar forte e obrigar nova grande defesa de Danilo.

O Botafogo começou o segundo tempo dando impressão que conseguiria o gol de empate. Logo no primeiro minuto, Rodrigo Pimpão foi lançado, chutou, mas Danilo fez grande defesa. Aos 12 minutos foi a vez de Neílton receber, chutar forte e obrigar nova grande defesa de Danilo.

O Botafogo continuava pressionando, mas de chance real de gol apenas um chute forte de Camilo que explodiu no travessão. Depois, muita disposição para empatar, mas quem soube controlar o jogo foi o time visitante, que levou a melhor no final.

NA TABELA

Botafogo: 5º lugar – 55 pontos
Chapecoense: 10º lugar – 49 pontos

PRÓXIMA RODADA

Botafogo: domingo (20/11) – 17h (de Brasília) – Palmeiras – Allianz Parque
Chapecoense: domingo (20/11) – 19h30 (de Brasília) – São Paulo – Arena Condá

FICHA TÉCNICA:
BOTAFOGO 0 X 2 CHAPECOENSE

Local: Arena Botafogo, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 16 de novembro de 2016 (Quarta-feira)
Horário: 19h30(de Brasília)
Árbitro: Dewson Fernando Freitas da Silva (Fifa-PA)
Assistentes: Marcio Gleidson Correia Dias (PA) e Helcio Araujo Neves (PA)
Renda: R$ 194.850,00
Público: 9.372 pagantes
Cartões amarelos: Airton, Leandrinho e Victor Luís (Botafogo); Neto (Chapecoense)
GOLS: CHAPECOENSE: Kempes, aos 32min do primeiro tempo; Sérgio Manoel, aos 19min do segundo tempo

BOTAFOGO: Sidão, Alemão, Emerson Santos, Joel Carli e Víctor Luís; Aírton, Rodrigo Lindoso (Leandrinho), Diogo Barbosa (Gervasio Nuñez) e Camilo; Neilton e Rodrigo Pimpão (Vinícius Tanque). Técnico: Jair Ventura

CHAPECOENSE: Danilo, Mateus Caramelo, Neto, Thiego e Dener; Mateus Biteco, Sérgio Manoel e Cleber Santana (Arthur Maia); Lucas Gomes, Tiaguinho (Ailton Canela) e Kempes (Bruno Rangel). Técnico: Caio Júnior

Comentários

comentários