Com 24h de paz, Corinthians sai à caça de reforços e tenta segurar trio

Eduardo Ferreira (ao centro) apresenta Alan Mineiro e Douglas (Foto: Carlos Augusto Ferrari)
Eduardo Ferreira (ao centro) apresenta Alan Mineiro e Douglas (Foto: Carlos Augusto Ferrari)

O Corinthians começa a respirar depois do bombardeio de propostas chinesas que recebeu nos últimos dias. Com o assédio menor, a diretoria do Timão se concentra em buscar reforços.A prioridade é encontrar um meio-campista de criação para suprir as saídas de Jadson e Renato Augusto. Os nomes, porém, são mantidos em sigilo.

– Ontem (quinta-feira), Roberto (de Andrade, presidente) disse que vimos de 50 a 60 nomes. Hoje, são quase 100. Mas tem aqueles três, quatro nomes que trabalhamos já endireitados. Quem sabe não fechamos nos próximos dias – afirmou o diretor adjunto de futebol Eduardo Ferreira, durante aapresentação do goleiro Douglas e do meia-atacante Alan Mineiro.

O dirigente negou que o Corinthians tenha interesse em contratar o meia Everton, do Flamengo, e admitiu que esfriou a negociação com o Al-Nassr, da Arábia Saudita, para comprar os direitos de Marquinhos Gabriel. O Timão ainda espera por André, centroavante que tenta se desligar do Atlético-MG.

– Não é o Everton e, quem for, não vamos falar. Com Marquinhos, a negociação está parada – resumiu.

Após perder Jadson, Renato Augusto, Ralf e Vagner Love, o Corinthians ainda precisa decidir o futuro de Cássio, Gil e Elias. O goleiro foi procurado pelo Besiktas, da Turquia, enquanto o zagueiro entrou na mira do Shadong Luneng, da China. O volante recebeu um convite do Hebei China Fortune.

– Por incrível que pareça, nesta semana são as primeiras 24 horas que não convivemos com sondagens. Tudo sobre Gil, Cássio e Elias foi sondagem. Para o clube, nada oficial. Eles seguem normalmente – ressaltou

Elias, aliás, foi escolhido pela diretoria para desfilar na Parada da Disney durante a pré-temporada nos Estados Unidos, um sinal de que ele pode ficar. Mesmo assim, ainda é complicado garantir a permanência do volante.

– Não dá para saber. A ideia, hoje, é que não passou de sondagens. A ideia é que ele fique e esperamos que ele fique. A janela é longa e teremos mais um mês tumultuado – disse Ferreira. (globoesporte.com)

Comentários

comentários