Colheita de milho evolui e chega a 38% das lavouras do Estado

A colheita da 2ª safra de milho em Mato Grosso do Sul atingiu 38% das lavouras plantadas neste ciclo 2015/16, de acordo com o Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga MS), ferramenta desenvolvida pela Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS). A porcentagem é 2% superior ao índice registrado no mesmo período da safra 2014/15.

Colheita ainda não chegou à sua metade em MS - Foto: Divulgação/Aprosoja
Colheita ainda não chegou à sua metade em MS – Foto: Divulgação/Aprosoja

A evolução, na última semana, foi de aproximadamente 11,5% para o Estado, ou seja, cerca de 180 mil hectares foram colhidos neste período. Os números foram levantados em campo entre os dias 25 e 28 de julho pelos técnicos do Siga MS, e divulgados na Circular Técnica n° 170, disponibilizada na íntegra na terça-feira (2), veja aqui.

Áreas de colheita

A região norte de Mato Grosso do Sul é a que se encontra com percentual mais avançado de colheita, com 45,6% concluída. Fazem parte desta região os municípios de Sonora, São Gabriel do Oeste, Pedro Gomes, Paraíso das Águas, Coxim, Costa Rica, Chapadão do Sul, Camapuã e Bandeirantes. Entre esses, São Gabriel do Oeste e Sonora são os que estão com a colheita mais avançada, com 50% da área concluída.

No sul do Estado, 39,3% dos grãos plantados foram colhidos. Essa região compreende as cidades de Antônio João, Bonito, Caarapó, Dourados, Fátima do Sul, Itaporã, Laguna Carapã, Maracaju, Naviraí, Ponta Porã, Vicentina, Amambai, Aral Moreira, Douradina e Juti. Os municípios de Aral Moreira e Amambai estão mais avançados na colheita, com 55% da área concluída.

Já na região central de MS, 28,4% foi colhido, o que inclui as cidades de Campo Grande, Jaraguari, Nova Alvorada do Sul, Sidrolândia, Terenos e Rio Brilhante. Esta última tem a colheita mais avançada, com 30% da área finalizada. Todos esses municípios listados, que pertencem às três regiões mencionadas, são acompanhados semanalmente pelos técnicos do Siga MS, que verificam o desenvolvimento das culturas de milho e soja no Estado.

Resultados estimados

A projeção de área plantada de milho permanece em 1,740 milhão de hectares. Já a estimativa de área colhida total, acompanhada pelo projeto Siga MS, é de 416 mil hectares.

Em relação à produção, a projeção é de 6,2 milhões de toneladas, com produtividade média de 59,9 sc/ha. Esses números indicam que, em relação à safra de milho 2014/15, configura-se queda de 31,83% na produção, uma vez que o Estado produziu 9,1 milhões de toneladas na última safra. Na região sudeste de Mato Grosso do Sul, que compreende os municípios de Anaurilândia, Batayporã, Taquarussu, Naviraí, Itaquiraí e Eldorado, 30% das propriedades visitadas pelos técnicos do Siga MS estimam perdas devido a diferentes intempéries climáticas.

Perdas

No que diz respeito à produtividade, o déficit é ainda maior, de 32,16%, já que na safra de milho 2014/15 foi alcançada média de 88,3 sacas por hectare. Já a estimativa atual é de 59,9 sacas por hectare.

A queda acentuada na estimativa de produtividade se deve a fatores climáticos, principalmente a ocorrência recente de geadas em diferentes pontos de Mato Grosso do Sul.

Esse fenômeno pode ter impactado diretamente 208 mil hectares de plantações de milho segunda safra, principalmente em municípios do extremo sul do Estado, como Laguna Carapã, Ponta Porã, Amambai, Caarapó, Antônio João, Aral Moreira, e ainda municípios do centro-­sul, como Sidrolândia e Rio Brilhante.

Comentários

comentários