Ciro: “Na defesa da democracia, nós vamos tocar fogo na rua”

Em uma longa entrevista à BBC Brasil, Ciro Gomes se pintou para a guerra contra o governo de Jair Bolsonaro.

O candidato derrotado do PDT ao Planalto em 2018 disse que “as energias que estão se acumulando são tão violentas” que não é possível prever “como o sistema político vai conseguir absorver” a “confusão” que vem por aí.

‘Estou em campanha para criar uma corrente de opinião que mostre ao Brasil a natureza real do nosso problema e um projeto alternativo, que é perfeitamente praticável num país como o nosso’ Foto FELIX LIMA/BBC NEWS BRASIL

“Então, o filhinho dele [Carlos Bolsonaro, filho de Jair], no momento em que ele fala, está aí causando comoção porque disse que, dentro do ambiente democrático, não é possível fazer as mudanças que o Brasil precisa. Estou pedindo que o Bolsonaro fale claramente sobre isso, porque esse menininho é um percevejo, é irrelevante, fica lá nos problemas de mal-amado dele. Agora, se é isso que pensa o Bolsonaro, a gente precisa dizer com clareza para ele que a imoralidade do PT nos divide, a agenda de costumes tosca nos divide, mas, na defesa da democracia, nós vamos tocar fogo na rua, fique seu Bolsonaro sabendo. Na defesa da democracia, vamos encará-lo na linguagem que ele quiser. Ele que não avance na direção disso, porque a minha geração sabe o que custou retomar a democracia e ele se elegeu por conta de democracia”, disse Ciro.

O pedetista disse mais:

“Se isso também não é a saída, um surto autoritário que quebra as instituições e, portanto, abre uma guerra civil no Brasil, qual é a saída? É a renúncia, na história brasileira. Só três presidentes na democracia terminaram o mandato neste país.”

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui