Circuito Dança no Mato chega a Paranaíba com os espetáculos “Matilha” e “Plagium?”

Foto Divulgação
Foto Divulgação

Na próxima sexta-feira (21) a caravana da dança vai estar em Paranaíba com o Circuito Dança no Mato com os espetáculos gratuitos, “Matilha” do Grupo Expressão de Rua que será apresentado no Espelho D’Água às 17h30 e “Plagium” da  Cia Dançaurbana, às 20h, na Loja Maçônica Recanto Hospitaleiro. Também haverá Workshop gratuito  com técnicas de danças urbanas ministrado pelo coreógrafo Marcos Mattos.

Matilha foi criado em 2013, a partir de técnicas, códigos e especificidades das Danças Urbanas, o espetáculo apresenta a proposta de um “jogo-cênico”, utiliza-se da improvisação como linha condutora que norteia o próprio jogo, juntamente com técnicas específicas como House, Break Dance e Popping. A palavra “Matilha”, compreende diferentes analogias – pequena ilha (espaço delimitado) e bando (grupo de cães designados para a caça, coletivo de cães ou lobos). Essa construção morfológica serviu de alicerce para a configuração e criação das cenas, bem como a condução dramatúrgica do espetáculo.

Em cena, 05 interpretes criadores se arriscam nas conexões criadas, uns com os outros ou consigo mesmo, em um processo contínuo  de revezamento, embate, liderança e experiência, onde a disputa pelo espaço é apenas uma desculpa. O espetáculo teve como aporte financeiro para sua criação o Fundos de Investimentos Culturais de MS (FIC), onde realizou 20 apresentações em escolas públicas de Campo Grande, participando também em eventos como “Semana Pra Dança” e no projeto realizado pelo SESC Arsenal – Cuiabá/MT, “Ispiá na Rua”. A companhia é formada por jovens acadêmicos de educação física, artes cênicas, pedagogia e publicidade, que se dedicam à dança e que buscam conciliar seu tempo na atuação em diferentes frentes de trabalho

Já o espetáculo Plagium? do grupo Expressão de Rua emerge de uma denúncia e de uma reação. Entramos em contato com informações diversas a todo o momento e, antes que se perceba, elas passam a fazer parte de nossas coleções individuais. Quase tudo é compartilhado, reproduzido e, esse jeito de agir passa a ser um hábito de conhecer, comunicar e, portanto, de criar.

Segundo o dicionário Houaiss, a definição jurídica do termo “plágio” significa “algo apresentado por alguém, como de sua própria autoria, de trabalho, obra intelectual, etc. produzido por outrem”. Com o espetáculo Plagium? a Cia. percebeu que a pesquisa como procedimento de criação em dança diferencia o que, de início, pode parecer comum: questões parecidas ou idênticas podem ser tratadas de maneiras diferentes, depende de como são percebidas e articuladas.

plagium-00865

“Plagium?” um espetáculo que brinca com falta de originalidade das coisas.

Plagium? compõe algo singular por meio de apropriações de espetáculos que já existem, além de conter reações a toda essa reviravolta que a denúncia anônima ocasionou. Há cenas apropriadas da Ginga Cia. de Dança (MS), Bruno Beltrão (RJ), Membros (RJ), Quasar (GO), Cena 11 (SC) e até da Companhia Rosas (Bélgica).

O circuito Dança no Mato tem como objetivos principais difundir a dança no Estado, bem como estimular a criação de novas companhias e a formação em dança. Nesse sentido será ministrado uma oficina com técnicas de danças urbanas, que também irá abordar o processo criativo e fazer um diálogo com os espetáculos. A oficina gratuita é aberta ao público a partir de 12 anos e será realizado no auditório da UEMS às 14h na Av. João Rodrigues de Melo no Jardim Santa Mônica.

Marcos Mattos diretor das duas companhias defende a ampliação do projeto, “é muito importante que  o projeto seja ampliado para melhorar a difusão da dança no Estado  que favorece também  o intercâmbio entre quem produz e  de quem recebe os espetáculos”.

Serviço: “Matilha” será apresentado às 17h30 no Espelho D’água na Av. Durval Rodrigues Lopes e “Plagium” na Loja Maçônica Recanto Hospitaleiro na Rua Marechal Deodoro, 1280, às 20h. O Workshop será realizado às 14h no Auditório da UEMS, na Av. João Rodrigues de Melo no Jardim Santa Mônica. Tanto as atrações quanto a oficina são de graça.

Comentários

comentários