Chuva provoca queda de árvores e deixa bairros sem energia no interior

A chuva desde a madrugada deste sábado (03) em Dourados já provocou transtornos pela cidade. A maioria das ocorrências envolve árvores caídas, problemas de escoamento e bairros da região noroeste ficaram sem energia.

Cruzamento das ruas Albino Torraca e Major Capilé teve trânsito comprometido com queda de árvore (Foto: Fabiane Dorta)
Cruzamento das ruas Albino Torraca e Major Capilé teve trânsito comprometido com queda de árvore (Foto: Fabiane Dorta)

Segundo o site o Dourados News, No cruzamento da rua Albino Torraca com a Major Capilé, em frente a um movimentado supermercado, uma árvore caída dificulta a visão dos motoristas. Eles têm que desviar para conseguir passar pelo local.

Na avenida Weimar Torres, em frente ao edifício Adelina Rigotti, uma árvore inteira e grande caiu sob o canteiro onde há estacionamento de veículos, ocupando em torno de seis vagas. Nenhum carro ou moto foi atingido.

No bairro Parque Alvorada, duas árvores caíram nas ruas Ranulfo Saldivar e Reinaldo Bianchi. Por volta de 4h o Corpo de Bombeiros foi acionado. A queda impediu a entrada e saída de moradores de suas residências e houve ação militar no local.

Em toda esta região do Parque Alvorada e bairros próximos, houve vários picos de energia durante a noite e muitas casas ainda estavam no escuro até a manhã deste sábado.

A empresa informou que algumas áreas da cidade registraram queda de energia, porque a chuva veio acompanhada de fortes ventos. Ainda de acordo com a Energisa, as interrupções no fornecimento do serviço foram pontuais e, “em sua maioria, provocadas por quedas de árvores e galhos em conflito com a rede de energia”. Através de nota, a empresa pontuou ainda que está com equipes operacionais em campo atuando restabelecer o fornecimento de energia e que essas trabalham independente das condições climáticas, ou seja, mesmo na chuva.

Na rua Ediberto Celestino de Oliveira (entre ruas Ciro Melo e João Vicente Ferreira), o tapume que cercava um terreno baldio foi a baixo com a força da chuva e do vento. A estrutura está debruçada sobre a calçada.

Na região central, há várias poças de água acumuladas às margens das ruas. A sujeira também se espalhou pelas mais diversas ruas, seja por conta de flores, folhas galhos e até lixo.

Vários bueiros estão entupidos na avenida Marcelino Pires, impedindo o escoamento da água. A água da chuva carregou o lixo para estes locais, que estão cheios com caixas de papelão, garrafas de água, latinhas de refrigerante, sacolas, entre outros.

De acordo com a Guarda Municipal, não houve registros de famílias desabrigadas em razão da chuva ou danos em residências que requerem a ação da Defesa Civil. O telefone para emergência é o 199.

Comentários

comentários