China abre mercado para leite e queijos brasileiros

VEJA/JP

Queijos e leite em pó estão entre os produtos que podem ser exportados à China (Foto: IStock/Getty Images)

A China abriu seu mercado para os produtos lácteos brasileiros. Ao todo, 24 estabelecimentos nacionais têm, agora, autorização para exportar os alimentos para o país asiático, segundo informação divulgada nesta terça-feira, 23, pela ministra da Agricultura, Tereza Cristina. A certificação existe desde 2007, mas até então nenhuma planta do país era habilitada a exportar aos chineses.

Entre os produtos envolvidos estão os não fluidos, como leite em pó, queijos e leite condensado. A expectativa do setor é exportar 4,5 milhões de dólares em queijos ( 16,9 milhões de reais), segundo a Associação Brasileira de Laticínios. Em 2018, os chineses importaram 108 mil toneladas do produto, que tem crescido a uma taxa média anual de 13% nos últimos cinco anos no país. Já o Brasil aumentou suas exportações de queijos em 65,2% nos últimos três anos.

O Ministério da Agricultura, em nota, informou que “antes da abertura do mercado chinês, o setor já vinha investindo no ingresso dos produtos na China, por meio da participação em feiras”.

A ministra Tereza Cristina comemorou o acerto. Acho que é uma notícia excepcional para o setor leiteiro, que passa por um momento muito difícil, sem esperança. E isso traz esperança para a indústria de leite”, disse ela, em nota. Segundo ela, “o Brasil sempre quis ter acesso ao mercado chinês, para poder tirar o produto do Brasil, melhorando, inclusive o preço dos produtores brasileiros”. A medida deve beneficiar 1,2 milhões de produtores de leite brasileiros.

De acordo com o ministério, a certificação estava acordada com a China desde 2007, mas não havia nenhuma planta brasileira habilitada a exportar. Em abril, o pasta encaminhou aos chineses a lista dos 24 estabelecimentos. Segundo Tereza Cristina ,o assunto foi uma das prioridades durante sua viagem ao país, em maio.

“O Brasil é um grande produtor e a China é o maior importador do mundo. O Brasil produz 600 milhões de toneladas de leite, mas a China importa 800 milhões de toneladas, 200 milhões de toneladas a mais do que produzimos”, acrescentou a ministra.

Comentários