Chegou a hora de 1,8 milhões ir às urnas eleger 79 prefeitos e vereadores de MS

urna-eletronica-maoA “festa da democracia” brasileira que é ressaltada pelo processo de eleições, chega ao seu ápice neste domingo, 2 de outubro, com a realização do processo de votação, a partir das 8 horas. São 144 milhões de brasileiros aptos a ir às urnas para eleger os novos prefeitos e vereadores dos 5,5 mil municípios do Brasil. Em terras regionais, são 1.875.869 eleitores que votam em Mato Grosso do Sul e irão às urnas para escolherem 79 prefeitos e 900 vereadores.

No Estado, são 1.003 vagas nos Executivos e Câmaras municipais, que estão sendo disputadas por 7.388 cidadãos que se registraram para concorrer nestas eleições 2016. O pleito que se estende até as 17 horas, quando as seções serão fechadas para a contabilização dos votos e divulgação dos resultados pelo TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

O eleitor tem permitido levar a tradicional cola com os números dos candidatos. Também é autorizada a manifestação individual e silenciosa de apoio ao partido ou candidato de sua preferência, mas não pode utilizar vestuário padronizado, bandeiras, broches nem adesivos que caracterizem manifestação coletiva.

Na cabine de votação, é proibido levar celular, máquinas fotográficas, filmadoras, equipamento de radiocomunicação ou quaisquer instrumentos que possam comprometer o sigilo do voto. Esses aparelhos devem ficar retidos com o mesário enquanto o eleitor vota. Eleitores com deficiência ou mobilidade reduzida podem contar com o auxílio de pessoa de sua confiança, ainda que não tenha feito o pedido antecipadamente.

Documentos para votar

Não é obrigatória a apresentação do ‘papel’ título de eleitor. No entanto, o número deste documento é indispensável para o preenchimento da justificativa eleitoral.

É necessário, porém, levar um documento oficial com foto (carteira de identidade, passaporte, carteira de categoria profissional reconhecida por lei, certificado de reservista, carteira de trabalho, carteira nacional de habilitação e no caso dos indígenas a Carteira de Identidade expedida pela FUNAI). Não será admitida a certidão de nascimento, certidão de casamento tampouco o Registro Administrativo de Nascimento Indígena (RANI).

Quem estiver fora da cidade onde vota deve justificar a ausência por meio de formulário disponível no site do órgão. Será preciso preencher um para cada turno. O documento pode ser entregue em qualquer seção eleitoral ou em até 60 dias após o pleito.

Nesse caso, é preciso ir ao cartório eleitoral levando documento que ateste o motivo da ausência. A assinatura só deve ser feita na entrega, na presença do mesário.

Curiosidade

A maior seção eleitoral de Campo Grande fica na Escola Estadual Teotônio Vilela, que fica na Avenida Souza Lima, no bairro Universitário II, onde votam 6.956 eleitores.

Comentários

comentários