Chefe do PCC no Paraguai é extraditado para Brasil

Após cumprir pena de 7 anos no Paraguai, Capillo foi extraditado para o Brasil. (Foto ABC Color)

O traficante Carlos Antonio Caballero, considerado o chefe do PCC (Primeiro Comando da Capital) em Pedro Juan Caballero, cidade do Paraguai que faz fronteira com Ponta Porã, em Mato Grosso do Sul, foi extraditado pela Justiça paraguaia para o Brasil. A decisão foi tomada ontem (19), e será cumprida ainda nesta sexta-feira (20).

Segundo o site paraguaio ABC Color, o juiz criminal Hugo Sosa Pasmor Garantias acatou pedido feito pela Justiça brasileira, já que o traficante tem condenação no Brasil para ser cumprida. O embarque de Caballero para o Brasil estava previsto para às 9 horas (horário de MS e Assunção), indo para São Paulo (SP), entretanto a polícia ainda não divulgou informações sobre a transferência.

Caballero foi condenado no Paraguai a sete anos de prisão por lavagem de dinheiro e violação da lei de armas, além de associação criminosa. Ele terminou em dezembro a pena, mas agora deverá permanecer preso no Brasil, onde responde por tráfico de drogas – no caso, cocaína.

Carlos Antonio, conhecido como Capilo, também é um dos elos do PCC com o traficante brasileiro Jarvis Pavão, que segue detido na capital paraguaia Assunção. Em 2009, no dia 27 de dezembro, ele foi preso ao lado de Pavão enquanto dormiam em um hotel fazenda na cidade de Yby Yau, no departamento paraguaio de Concepción.

Na operação que resultou na prisão dos dois, foram encontradas várias armas com os bandidos. Três fuzis, pistolas, US$ 10 mil, R$ 5 mil e 34 milhões de guaranis, moeda do Paraguai, forma apreendidas. Pavão costumava usar o hotel como uma “base secreta” e para fugir dos agentes da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas).

 

Comentários