Chefe da máfia do cigarro passa por audiência hoje e aposentado do TCE vai ser ouvido

Da Redação

O tenente-coronel da Polícia Militar Admilson Cristaldo Barbosa deve passar por audiência de instrução e julgamento, em processo de corrupção passiva, às 15 horas, desta quinta-feira (14), na Vara de Auditoria Militar, no Fórum de Campo Grande.

Oficial continua preso desde o dia 16 de maio. Foto: Reprodução / Facebook.

O ex-presidente do TCE (Tribunal de Contas de Estado) e atualmente aposentado, Cícero de Souza, figura como testemunha e deve ser ouvido nesta tarde.

Além de Cícero, o tenente-coronel da PM Hélio Gauto Rios e o servidor do TCE Parajara Moraes Alves Junior também deverão testemunhar.

Cristaldo foi denunciado pelo Ministério Público Estadual em processo por corrupção passiva no período de janeiro de 2005 a abril de 2016. No entanto, em 2010, foi cedido para o TCE até o final de 2016 e lá teria se relacionados com servidores do órgão em esquema ilícito.

Operação Oiketicus – Admilson Cristaldo é investigado pela Operação Oiketicus, do Ministério Público Estadual e apontado como chefe da máfia do cigarro. Na denúncia, ele era conhecido como ”Chico Bento’ e se negou a fornecer senha de um aplicativo de mensagens em seu celular.

O esquema cobrava propinas de até 100 mil reais para liberar cargas de cigarros que eram interceptadas pela Polícia Militar nas rodovias estaduais, principalmente na região de Jardim, onde Cristaldo era o comandante.

O tenente também é acusado de “possuir um padrão de vida totalmente incompatível com seus rendimentos como policial militar, a exemplo de aquisição de motos de luxo, carros importados, roupas de grife, viagens internacionais etc., supostamente proporcionado pelo recebimento de quantias ilegais (corrupção sistemática)”.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu cometário!
Por favor, insira seu nome aqui