Chefe da máfia do cigarro passa por audiência hoje e aposentado do TCE vai ser ouvido

Da Redação

O tenente-coronel da Polícia Militar Admilson Cristaldo Barbosa deve passar por audiência de instrução e julgamento, em processo de corrupção passiva, às 15 horas, desta quinta-feira (14), na Vara de Auditoria Militar, no Fórum de Campo Grande.

Oficial continua preso desde o dia 16 de maio. Foto: Reprodução / Facebook.

O ex-presidente do TCE (Tribunal de Contas de Estado) e atualmente aposentado, Cícero de Souza, figura como testemunha e deve ser ouvido nesta tarde.

Além de Cícero, o tenente-coronel da PM Hélio Gauto Rios e o servidor do TCE Parajara Moraes Alves Junior também deverão testemunhar.

Cristaldo foi denunciado pelo Ministério Público Estadual em processo por corrupção passiva no período de janeiro de 2005 a abril de 2016. No entanto, em 2010, foi cedido para o TCE até o final de 2016 e lá teria se relacionados com servidores do órgão em esquema ilícito.

Operação Oiketicus – Admilson Cristaldo é investigado pela Operação Oiketicus, do Ministério Público Estadual e apontado como chefe da máfia do cigarro. Na denúncia, ele era conhecido como ”Chico Bento’ e se negou a fornecer senha de um aplicativo de mensagens em seu celular.

O esquema cobrava propinas de até 100 mil reais para liberar cargas de cigarros que eram interceptadas pela Polícia Militar nas rodovias estaduais, principalmente na região de Jardim, onde Cristaldo era o comandante.

O tenente também é acusado de “possuir um padrão de vida totalmente incompatível com seus rendimentos como policial militar, a exemplo de aquisição de motos de luxo, carros importados, roupas de grife, viagens internacionais etc., supostamente proporcionado pelo recebimento de quantias ilegais (corrupção sistemática)”.

Comentários