Chá Acadêmico aborda transparência nas eleições com o jurista Abrão Razuk

Da Redação/P.F

Foto Divulgação

A Academia Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL), com apoio da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, realiza nesta quinta-feira (27) mais uma edição do tradicional Chá Acadêmico com uma palestra ministrada jurista Abrão Razuk: “Lisura nas Eleições”. O seminário começa às 19 horas, no Centro Cultural José Octávio Guizzo. A entrada é franca, a duração aproximada de 60 minutos e classificação livre.

O advogado e acadêmico da ASL Abrão Razuk foi empossado como membro efetivo na classe jurista do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) em 2015 e permanece até 2017. Com currículo extenso, é especialista em Direito Civil, sendo que já foi juiz de direito em Aquidauana, Miranda, Corumbá e Campo Grande. Além disso, atuou como defensor público na década de 1970, lecionou História do Brasil e da Civilização.

Chá Acadêmico – Da programação anual da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras, o Chá Acadêmico é destaque e o evento mais concorrido, pois tem proporcionado um benefício enorme no campo do conhecimento literário aglutinando autoridades civis, militares e eclesiásticas num conjunto formidável de palestras com a finalidade de incentivar a literatura do Estado.

O Chá Acadêmico – que começou a ser realizado em fevereiro de 2005 – ocorre sempre na última quinta-feira de cada mês e será realizado no Centro Cultural até que a ASL termine a construção de sua sede própria, que fica localizada na rua 14 de Julho, no bairro São Francisco.

Associação Sul-Mato-Grossense de Letras (ASL) Nascida à sombra de uma árvore, fundada pelos escritores Ulisses Serra, Germano Barros de Souza e José Couto Vieira Pontes no dia 30 de outubro de 1971, a atual Academia Sul-Mato-Grossense de Letras) surgiu com o nome de Academia de Letras e História de Campo Grande.

A instalação oficial da Academia se deu na noite de 13 de outubro de 1972 no Hotel Campo Grande.  Com 40 cadeiras vitalícias, aos moldes da ABL, mantém ao longo da sua existência uma história marcante voltada para a defesa do vernáculo e o cultivo da arte literária, zelando e incentivando todas as derivações da cultura estadual e nacional.

Serviço: Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3382-1395 ou no Centro Cultural José Octávio Guizzo, que fica na rua 26 de Agosto, 453 entre a avenida Calógeras e a rua 14 de Julho.