Centro Cultural inaugura exposições que abordam cores e sonhos

Da Redação

Acontece na próxima terça-feira (26), às 19 horas, a vernissage das exposições “Catarse” da artista visual Márcia Albuquerque na galeria Wega Nery e “Fluído Digital” da artista visual Rose Moura na sala Ignês Corrêa da Costa no Centro Cultural José Octávio Guizzo (CCJOG), unidade da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS).

Divulgação FCMS.

A exposição “Catarse” mostra o processo criativo da artista, que trabalha sem planejamento prévio, deixando fluir as emoções no momento da produção pictórica através da música. Através de gestos intensos e pinceladas vigorosas, a artista transita livremente entre traços, linhas, manchas, transparências e gotejamentos. A abstração, marcada por cores vibrantes, é uma das marcas de seu trabalho.

O movimento figurativo aparece vez ou outra, permeado de significados, como no díptico Lídia Baís: Sagrado e Profano, obra que presta homenagem à mulher, artista, precursora das artes visuais no estado de Mato Grosso do Sul. “Catarse é um convite para o sentir e se transmutar no movimento das cores e na energia das obras, oferecendo uma viagem livre e sem destino certo”, conta a artista Márcia Albuquerque.

Já a exposição “Fluido Vital” da artista Rose Moura tem classificação de 16 anos e está relacionada com a temática “onírica”, em que é analisada a vida nos mundos diversos e seus diferentes estágios, passando uma ideia de evolução do “ser”, onde o átomo é encontrado no todo, desde o mineral, vegetal e animal, ou seja, os seres passam por etapas e relacionamentos mutuamente, onde ocorre uma evolução.

Sobre a visualidade: nas pinturas as imagens terão partes definidas e outras difusas. Ao fundo e ao longe imagens de mundos oníricos. As obras são compostas com óleo sobre tela e a técnica usada é a velatura, sendo três desses trabalhos premiados no segundo “Festival de Arte de Campo Grande” em 2018.

Serviço: As exposições estarão abertas à visitação até 05 de abril, de terça a sexta-feira das 8h às 22h e sábado das 8h às 18h. Mais informações podem ser obtidas no Centro Cultural José Octávio Guizzo, na rua 26 de Agosto, 453, entre a Calógeras e a 14 de Julho ou pelo telefone 3317-1795.

Acontece na próxima terça-feira (26), às 19 horas, a vernissage das exposições “Catarse” da artista visual Márcia Albuquerque na galeria Wega Nery e “Fluído Digital” da artista visual Rose Moura na sala Ignês Corrêa da Costa no Centro Cultural José Octávio Guizzo (CCJOG), unidade da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul (FCMS).

A exposição “Catarse” mostra o processo criativo da artista, que trabalha sem planejamento prévio, deixando fluir as emoções no momento da produção pictórica através da música. Através de gestos intensos e pinceladas vigorosas, a artista transita livremente entre traços, linhas, manchas, transparências e gotejamentos. A abstração, marcada por cores vibrantes, é uma das marcas de seu trabalho.

O movimento figurativo aparece vez ou outra, permeado de significados, como no díptico Lídia Baís: Sagrado e Profano, obra que presta homenagem à mulher, artista, precursora das artes visuais no estado de Mato Grosso do Sul. “Catarse é um convite para o sentir e se transmutar no movimento das cores e na energia das obras, oferecendo uma viagem livre e sem destino certo”, conta a artista Márcia Albuquerque.

Já a exposição “Fluido Vital” da artista Rose Moura tem classificação de 16 anos e está relacionada com a temática “onírica”, em que é analisada a vida nos mundos diversos e seus diferentes estágios, passando uma ideia de evolução do “ser”, onde o átomo é encontrado no todo, desde o mineral, vegetal e animal, ou seja, os seres passam por etapas e relacionamentos mutuamente, onde ocorre uma evolução.

Sobre a visualidade: nas pinturas as imagens terão partes definidas e outras difusas. Ao fundo e ao longe imagens de mundos oníricos. As obras são compostas com óleo sobre tela e a técnica usada é a velatura, sendo três desses trabalhos premiados no segundo “Festival de Arte de Campo Grande” em 2018.

Serviço: As exposições estarão abertas à visitação até 05 de abril, de terça a sexta-feira das 8h às 22h e sábado das 8h às 18h. Mais informações podem ser obtidas no Centro Cultural José Octávio Guizzo, na rua 26 de Agosto, 453, entre a Calógeras e a 14 de Julho ou pelo telefone 3317-1795.

Comentários