Celso Cestari pede exoneração da superintendência do Incra em MS

O superintendente Regional do Incra em Mato Grosso do Sul, Celso Cestari Pinheiro, 65 anos, pediu ontem exoneração do cargo. A solicitação foi feita através de carta enviada `presidente do órgão, Maria Lúcia de Oliveira Falcón, alegando já ter chegado ao ponto ideal para dedicar-se aos negócios pessoais.

Cestarí assumiu a SR-16, pela terceira vez, e a última foi em 2010, quando o Incra-MS estava sob intervenção judicial, como consequência da Operação Telus, realizada pela Polícia Federal. Explicou que na ocasião o Incra-MS ficou impedido pela justiça, de desenvolver várias funções principalmente desapropriar ou requisitar áreas para a implantação de novos assentamentos”.

Na carta demissionária ele ressalta que “Assumi a SR-16 há quase quatro anos, com o compromisso de resgatá-la de uma situação difícil proveniente de uma intervenção judicial (…) sinto que para essa nova etapa que se desenha, tenho pouco a contribuir, precisando a SR-16 de um gestor com ideias novas e outros objetivos. Os meus se esgotaram”.

Cestari é advogado aposentado da Advocacia-Geral da União, aposentado há um ano, e era lotado no Incra-MS.

O Incra será comandado pelo funcionário de carreira Sydnei Ferreira de Almeida. O novo chefe do órgão atuava como ouvidor agrário.

Comentários

comentários