Ceinf’s da capital de portas fechadas devido paralisação de trabalhadores da Omep e Seleta

Os trabalhadores da Omep e Seleta cruzaram os braços nestta quarta-feira (9). Pelo menos 18 dos 99 Ceinf’s(Centros de Educação Infantil) deixaram de atender as crianças. Cerca de 90% da categoria aderiu a paralisação. As unidades que abriram contam com número reduzido de profissionais.

O motivo da paralisação é o atraso salarial que venceu no 5º dia útil deste mês e a reivindicação por reajuste salarial – já que há 2 anos os profissionais não recebem aumento.

A presidente do SENALBA-MS, Maria Joana Barreto Pereira, explica que os trabalhadores da Omep e Seleta não trabalham apenas em Ceinf’s.

“São cerca de 4000 trabalhadores que atuam em instituições de ensino municipal e nas próprias instituições patronais para lidar com assuntos relacionados ao convênio com o município, mas deste 3.000 atuam nos Centros de Educação Infantil. O atraso é constante e apesar do sindicato pressionar pelo pagamento no prazo legal, as instituições patronais Omep e Seleta informam que sem o repasse financeiro da prefeitura, não há como executar os pagamentos. Diante do descaso com a categoria, não há outra solução que não a greve”, explica Maria Joana.

A Semed (Secretaria Municipal de Educação) já recomendou para que os diretores de Ceinfs procurem formas de organizar o atendimento nas unidades para dar continuidade ao atendimento, ocorrendo dispensa de turmas apenas em casos extremos.

A secretaria também promete pagamento nesta quarta (9) para funcionários ligados à Omep. Já, os trabalhadores ligados à Seleta estão dependendo do repasse da folha de pagamento para o setor de auditoria da Semed.

Comentários

comentários