Carros de luxo de Collor avaliados em R$ 4,7 milhões não foram declarados à Justiça Eleitoral

Lamborghini Aventador apreendida na casa do ex-presidente Fernando Collor de Mello – Foto: Ueslei Marcelino – Reuters

Os três carros de luxo apreendidos pela Polícia Federal na terça-feira na Casa da Dinda, residência do senador Fernando Collor (PTB-AL) em Brasília, não estão na declaração de bens que ele entregou à Justiça Eleitoral em 2014, quando ele concorreu e venceu a disputa pelo Senado em Alagoas.

Ontem, o ex-presidente disse na tribuna que os bens retirados de sua propriedade durante a Operação Politeia, um desdobramento da Lava-Jato, foram “legalmente declarados e adquiridos antes do suposto cometimento dos pretensos crimes”.

Os veículos estão avaliados em R$ 4,7 milhões – R$ 470 mil (Porsche), R$ 1,1 milhão (Ferrari) e R$ 3,2 milhões (Lamborghini). Segundo o Denatran, a Ferrari é de 2010/2011, o Porsche, de 2011/2012, e o Lamborghini, de 2013/2014. O Porsche tem placa de Maceió. Os outros dois, de São Paulo.

Na declaração de bens entregue ao Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE-AL), relativa ao ano de 2013, declarou ter 13 carros, mas os veículos apreendidos não estão entre eles.

O carro mais caro declarado por Collor é um BMW (R$ 714,5 mil), seguida por uma Ferrari preta (a apreendida pela PF era vermelha), que tem valor de R$ 556 mil.

Fonte: O Globo

Comentários

comentários