Carro de App acaba destruído por ‘valentão criminoso’ que achou ser traído

Lúcio Borges

O cara até parece ser de organização criminosa paulista, com ramificação em Campo Grande, mas quando se tratou de mulher, perdeu e assim foi ser valentão, destruindo patrimônio de um motorista de aplicativo, que nada tinha haver com a história. O homem, que não teve nome liberado pela polícia, achou que era dono do pedaço e após uma ‘ficante’ parecer ter o traído ou simplesmente não querer mais ficar com o mesmo, e, ir embora de uma casa noturna, no bairro Santo Antonio, ele tentou a impedir. Contudo, não conseguindo a barrar, seguiu a jovem bastante e para piorar situação, viu um ato em hora errado do motorista do veículo na madrugada deste sábado (27).

Conforme relatos, o transporte ao parar, no conjunto Oitti, outro lado da cidade, teve o motorista fazendo “algo errado em hora errada” ao pedir para a moça carregar um pouco seu celular na casa. Assim, o acusado que seguiu a moça de moto, partiu para cima e danificou bastante o carro do serviço de aplicativo. O então motociclista, parou onde o carro parou no Oitti, quando na confusão teria se identificado como sendo da facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) e disse ao motorista que era companheiro dela.

Pelas circunstancias do fato, o ‘cara da facção’, pensou que era o ‘Ricardão’, após o trajeto feito até a casa da jovem, no Residencial Oiti. Segundo relatos, ao chegar no local, o motorista estava sem bateria no celular e pediu para carregar o celular na residência da passageira, para poder verificar o valor da corrida.

Segundo um motorista, que prefere não se identificar, a destruição e quase tragedia se iniciou por volta das 5 horas, quando o colega foi acionado para fazer uma corrida, saindo de casa de shows, localizada no bairro Santo Antônio. Duas jovens entraram no veículo e, antes mesmo que saíssem do local, foram abordados por um homem em uma motocicleta. O motorista teria pedido para que as jovens descessem do carro. A moça então saiu do veículo e convenceu o homem a deixá-la ir para casa com a amiga.

Convenceu, mas não convenceu e seguiu

O homem deixou a duas moças seguirem e retornar para a casa, mas como já dito as seguiu até o local, que em seguida, chegando a casa, viu a cena de possível troca, com o motorista do APP ainda adentrando a casa, onde passou a destruir o carro.

Pelas imagens feitas no local, tijolos foram usados para quebrar vidros e amassar a lataria do veículo. Contudo, ele não avançou para o pior, indo até a casa para ‘acertar contas’. Assim, o motorista e as jovens com medo ficaram dentro da residência.

A moça contou que o agressor não teria ‘direito’ de lhe cobrar nada, pois ela afirmou que apenas “ficou” com ele por duas vezes e que não mantinha um relacionamento.

Salvos

O trabalhador, que não revidou a ação, apesar de ver seu carro sendo quase destruído, acionou outros motoristas por meio de um grupo e, em pouco tempo, cerca de 15 minutos, outros colegas foram ao local.

Vários motoristas de aplicativo foram até o local.

Uma viatura da Polícia Militar que passava pelo local foi acionada e checou, por meio do nome fornecido pela jovem, que o rapaz teria passagem pela polícia e realmente seria ligado ao PCC.

Os policiais orientaram que o motorista registrasse o caso na Polícia Civil.

Comentários