Caravina espera bom senso do Senado para inclusão dos municípios na reforma

Portal Assomasul

Depois de passar em segunda votação na Câmara, a reforma da Previdência começa a tramitar no Senado

Como o relator da reforma da Previdência na comissão especial da Câmara dos Deputados, Samuel Moreira (PSDB-SP), deixou estados e municípios de fora do texto aprovado em segunda votação esta semana pela Casa, prefeitos e governadores nutrem forte esperança no Senado, onde a matéria começou a tramitar nesta quinta-feira (8).

Caravina (c) durante evento na Assomasul (Foto: Edson Ribeiro)

Após a leitura da PEC em Plenário, a senadora Simone Tebet (MDB-MS), presidente da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça), indicou o relator da matéria, senador Tasso Jereissati (PSDB-CE).

Particularmente, o presidente da Assomasul (Associação dos Municípios de Mato Grosso do Sul), Pedro Caravina, integrante do Conselho Político da CNM (Confederação Nacional de Municípios), espera bom senso dos senadores  para inclusão dos municípios na reforma.

Caravina espera que o encaminhamento dado pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e as manifestações favoráveis de vários senadores, inclusive de Mato Grosso do Sul, prevaleçam durante a votação do texto no plenário da Casa.

Durante entrevista à TV Morena, no mês passado, o dirigente disse que a reforma da Previdência não pode ser “capenga”, deixando fora do texto estados e municípios

Na ocasião, o presidente da Assomasul revelou ter conversado em Campo Grande com o senador Nelsinho Trad (PSD-MS), durante evento com o ministro Mandetta (Saúde), que sinalizou o desejo do presidente David Alcolumbre de incluir estados e municípios no texto.

Simone Tebet também concedeu entrevistas defendendo a inclusão de estados e municípios no texto por meio do que chamou de “PEC Paralela”.

Esse também é o desejo do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), que tem ido com freqüência a Brasília, juntamente com colegas de vários estados em favor da mudança na emenda constitucional que agora começa a tramitar no Senado.

TRÂMITE

Depois de passar em segunda votação na Câmara, a reforma da Previdência começa a tramitar no Senado.

A partir de agora, os senadores podem apresentar emendas ao texto. Em coletiva à imprensa, Simone explicou que na próxima quarta-feira (14) a CCJ vai aprovar os requerimentos de audiências públicas.

Simone estima que as audiências ocorram de segunda a sexta-feira, a partir do dia 19 de agosto.

Ela acredita que no dia 28, o relatório já poderia ser discutido na CCJ.

Depois de aprovado na Comissão, o texto segue para o Plenário, para votação em 2 turnos com quórum de 49 votos.

Comentários