Capital tem maior alta preço da cesta básica ante queda em dez Capitais

Feijão caiu entre os itens mais caros da cesta básica

O preço da cesta básica, no mês de setembro, caiu em dez das 18 capitais pesquisadas pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos). A noticia negativa e ainda pior ficou para Campo Grande, que além de ficar entre as oito com elevação de preços, foi a primeira, com maior índice, chegando a 5,24% de alta. O percentual de reajuste aos campo-grandenses foi bem superior ante até o segundo colocado, que foi Salvador com 1,26%. O levantamento foi divulgado nesta quinta-feira (4) pelo órgão que faz a pesquisa oficial no Brasil. Veja abaixo, os números por produtos.

O Diesse aponta ainda mais ‘estragos’ na renda de quem se abastece com a cesta básica, com 15 produtos oficiais, em Campo Grande. Aqui, o conjunto de produtos registra alta de 6,83% no período de últimos 12 meses, a maior entre as cidades pesquisadas. As maiores elevações foram verificadas em Campo Grande (5,24%), com os produtos estão cotados atualmente em R$ 383,77. Em Salvador os 1,26% de alta fez R$ 315,86. Na capital baiana, no entanto, a cesta acumula queda de -0,84% em um ano.

Segundo levantamento divulgado hoje, Goiânia teve a maior redução (-2,31%), ficando o pagamento dos produtos em R$ 354,11. Em 12 meses, o conjunto de produtos registrou queda de 5,06 na capital goiana. Recife teve a segunda maior retração em setembro (-2,17%), ficando em R$ 332,75.

Em São Paulo, a cesta básica ficou estável no mês passado, no valor de R$ 432,83. Em 12 meses, a cesta teve alta de 2,81% na capital paulista. Na capital paulista, o conjunto de produtos tem o segundo maior valor entre as cidades pesquisadas.

Bem alto no valor em dinheiro

A cesta mais cara no mês, segundo o levantamento, é a de Florianópolis, custando R$ 435,47. Os itens tiveram alta de 0,97% em setembro e de 3,89% em 12 meses.

Itens

Entre agosto e setembro, seis produtos tiveram retração nos preços: batata (-8,14%), tomate (-5,31%), leite integral (-4,15%), açúcar refinado (-1,67%), manteiga (-1,15%) e óleo de soja (-0,30%). Em 12 meses, cinco itens registram quedas acumuladas: feijão carioquinha (-11,73%), açúcar refinado (-8,88%), tomate (-8,84%), café em pó (-5,76%) e batata (-5,24%).

No mês, tiveram alta o pão francês (1,23%), a carne bovina de primeira (1,71%), o café em pó (2,42%), a banana (2,63%), o arroz agulhinha (2,67%) e a farinha de trigo (5,99%).

Em 12 meses, acumulam elevações a banana (1,03%), o óleo de soja (1,20%), a carne bovina de primeira (2,52%), o arroz agulhinha (5,48%), a manteiga (6,83%), o pão francês (9,32%), o leite integral (21,86%) e a farinha de trigo (26,91%).

Comentários