Cantora Jennifer Holliday cancela show na posse de Trump e pede desculpas

A cantora e atriz Jennifer Holliday se desculpou com a comunidade LGBT
imagem: Richard Drew/AP

A cantora Jennifer Holliday, uma das poucas artistas que aceitaram cantar na posse de Donald Trump, cancelou neste sábado (14) sua participação no evento.

Em uma carta enviada com exclusividade para o site The Wrap, a americana pediu desculpas à comunidade LGBT e disse que cometeu um “erro de julgamento” ao aceitar o convite. Um dia antes, ela havia dito que não cantaria para o presidente e sim para todo o povo americano.

“Peço sinceras desculpas por meu erro de julgamento, por ter sido ignorante sobre as questões que afetam todos os americanos neste momento crucial da história e por ter causado tanta consternação e desgosto aos meus fãs. Por favor, saibam que eu ouço vocês e sinto sua dor”, escreveu a cantora na carta, lembrando que a comunidade LGBT foi muito importante em sua carreira e que não sabia que ainda era tão importante para seu público.

Holliday, que já ganhou um Grammy e um Tony, já havia afirmado que não é uma eleitora de Trump e revelou ter votado por Hillary Clinton em novembro. Mas, durante toda a sua carreira, ela se apresentou para presidentes dos dois partidos, incluindo Ronald Reagan, George Bush, George W. Bush e Bill Clinton.

A cantora recebeu nas redes sociais ameaças de morte, sugestões para que ela se suicide, alertas de boicotes e ofensas raciais em um nível que a assustou. “Eu pensei que ele [Barack Obama] nos tivesse dito para irmos adiante e termos esperança”.

A escalação para a festa “Make America Great Again Welcome Celebration” foi divulgada nesta sexta-feira(13), pelo diretor de comunicação do comitê de Trump, que organiza a apresentação do próximo dia 20. Além de Holliday, também vão se apresentar a banda 3 Doors Down e o cantor country Toby Keith.

Trump teve bastante dificuldade de encontrar músicos que topassem celebrar a sua eleição. Elton John, Celine Dion, o cantor de country Garth Brooks e a estrela da ópera Andrea Bocelli recusaram o convite. Até o vocalista e baixista do Kiss, Gene Simmons, que uma vez chamou Trump de “o animal político mais verdadeiro que eu já vi no palco”, não aceitou animar a festa.

Vale lembrar que a festa da posse de Obama, em 2009, teve um line-up digno de festival: Beyoncé, Mary J. Blige, Jon Bon Jovi, Garth Brooks, Sheryl Crow, Herbie Hancock, John Legend, Shakira, Bruce Springsteen, James Taylor, U2, Usher, will.i.am, Stevie Wonder, entre outros. Em 2013, quanto Obama foi reeleito, Beyoncé cantou o hino nacional ao lado dele no dia da posse.

Comentários