Candidatura à prefeitura está em ebulição a cada dia, diz Trad sobre eleição 2016

marquinhos-tradA pretensa candidatura à prefeitura de Campo Grande, do deputado estadual Marcos Trad (PSD) está em ebulição a cada dia e fazendo caminhos certeiros. Assim foi a definição do parlamentar na manhã de quarta-feira (20), ao ser questionado pela reportagem do Página Brazil, de como andava as ações, que não estão ‘aparecendo’ muito. Trad, que participava da sessão ordinária da Assembleia Legislativa de MS, quis desviar do assunto, mas como pretenso concorrente ao Paço Municipal, logo externo parte de como tem feito sua articulação. Ele apontou que tem reuniões todos os dias pelos bairros da Capital, com o projeto “conversa com nossa gente”, que foi lançado no dia do ato de sua filiação aos PSD no mês passado.

Trad, que trocou o PMDB para ser candidato, pois não encontrava respaldo e espaço no antigo partido, fala que a nova agremiação, além de novo rumo, abriu campo para aplicar o projeto, que não era visto como parte da sigla peemedebistas e sim projeto pessoal. “Estamos com novas cabeças, pessoas em diversos bairros todos os dias em reunião, sendo bem recebido e ouvindo a todos, desde como até ir a escolha e chegar ao bairro sem invadir com nossa presença ‘obrigatória’, conversando com nossa gente, levando nosso pensamento e acima de tudo ouvindo”, explicou.

O agora social democrata engrenou na entrevista e comentou os resultados positivos que acreditar estar sendo obtido. “Tem sido tudo bem positivo, participando e tendo muita participação, apesar da atual situação de crise política e das instituições ou mais do descrédito das pessoas com cargos políticos, que também é alvo da conversa e que somos abertos a se falar tudo. Estamos atestando o conhecimento de cada cidadão, que está e vai nos engrandecer enquanto uma futura administração. Apesar de tudo, estamos sendo recebidos com muito carinho e educação pelo nosso povo, discutindo problemas e procurando soluções”, apontou.

Marcos Trad, questionado se está indo ‘sozinho’, mencionou que não e que inclusive está indo ou acompanhando reuniões de possíveis candidatos a vereador de seu partido e mesmo de outras legendas. “Estamos vendo também em nosso caminho, como vamos encaminhar nossa chapa de vereadores. Temos já uns quatro que devem despontar. Quem? Os dois já vereadores que temos que dar apoio para serem aprovados pelos mandatos que estão fazendo. Tem o ex-vereador Ribeiro. O Robson da Saúde, que tem uma boa inserção nesta sua área. E o vereador cassado Delei Pinheiro, que apesar de tudo, agora foi absolvido pela Justiça”, comentou.

Sobre Delei

O deputado explicou que o vereador cassado pelos tribunais eleitoral, TRE e TSE (Tribunal Regional e Superior Eleitoral) por compra de votos, como foi denunciado e acatado pela Justiça Eleitoral, também tinha um processo no âmbito civil criminal. Na Vara Civil, ele foi absolvido e ainda dado um ‘atestado’ de que não praticou crime algum. Delei Pinheiro perdeu mandato em julgamento no TSE em 17 de novembro passado, junto com Paulo Pedra (PDT) e Thaís Helena (PT) foram cassados dos cargos. A acusação contra eles era de compra de votos em troca de combustível e abuso do poder econômico.

A cassação foi decidida por unanimidade entre os ministros votantes do TSE. O relator do caso, Admar Gonzaga, informou em seu parecer que estava “absolutamente comprovada a compra de combustível” e que não havia dúvida sobre a captação “ilícita de sufrágio”. Os três já haviam sido cassados pelo juiz da 54ª Zona Eleitoral de Campo Grande, Luiz Antônio Cavassa de Almeida. O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) confirmou a decisão dele em dezembro de 2013.

“O Delei foi absolvido no âmbito civil criminal e agora está vendo para recorrer e tentar reverter a decisão do TSE, para no mínimo voltar a ser candidato, pois com a cassação teve direitos políticos também suspensos. Ele dentro do artigo 386 do Código de Processo Penal, que tem seis artigos, entre falta de provas e outros, possui um maior e talvez principal, onde diz que ‘fato não constitui crime’. Neste artigo, que ele foi classificado. O juiz o absolveu e descreveu nos autos de sua decisão, que Delei não praticou crime previsto, pois não havia nada, o fato para constituir algum crime. Isso é muito consistente e diz tudo”, explicou Trad, que também é profissional da área do Direito.

Assim, o advogado Marcos Trad, apontou ainda que o ex-vereador é Ficha Limpa e que como já vinha sendo mostrado, a Justiça eleitoral não errou em si, mas foi levada a uma decisão que não cabia para todos os três envolvidos. “O Delei e Thais tinham contrato regular e certo com o posto de combustível onde foi pego o tal crime. Mas a apreensão feita pela Polícia pegou todo material do local e foi apontado como prova de delito em flagrante e não se considerou o fato real”, apontou.

Comentários

comentários