‘Camuflado’ instrutor usa veiculo de autoescola para entregar carga de droga

Lúcio Borges

Imagem ilustrativa

A estratégia era boa e de difícil percepção para a polícia descobrir, com um carro de auto-escola, todo adesivado sendo usado para o trafico de drogas em Campo Grande. A facilidade para oc rime continuaria se não fosse uma denuncia a PM-MS (Polícia Militar de MS) na Capital, para flagrar o entorpecente dentro de um ônibus de autoescola, com um instrutor de 38 anos. O nome não foi liberado pela policia ao prender o homem na noite desta quarta-feira (12) no bairro São Conrado, região Oeste da Capital.

Conforme a PM, a quantia de droga apreendida pesou 25,300 quilos no poder do então também instrutor, que foi encaminhado preso em flagrante por tráfico de drogas e encaminhado a Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Piratininga. A droga e o veículo foram encaminhados para a Denar (Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico).

O traficante caiu com a Força Tática da PM recebendo a informação de que por volta das 18h aconteceria uma entrega do produto no bairro São Conrado. “Após a denúncia, os policiais passaram a fazer diligências pela região, quando localizaram um ônibus de autoescola na rua Leão Zardo. O motorista se identificou como instrutor de uma autoescola da Capital, mas apresentou nervosismo”, relata os policiais.

Assim, foi feita busca no veículo, onde se encontrou 25 tabletes de maconha sobre o banco que fica atrás do motorista. “O instrutor relatou que foi desta vez, que um homem conhecido como ‘Terrorista’ ligou para ele oferecendo uma quantia em dinheiro, para buscar uma caixa com entorpecentes na rua da Divisão e entregar no bairro São Conrado”, aponta a PM.

Carga colocada no ônibus

De acordo com o instrutor, quando chegou na rua da Divisão, outro rapaz, que disse não conhecer, conduzindo um veículo VW Parati de cor branca, entrou no ônibus, deixou o entorpecente e saiu.

Durante a busca pessoal também foi localizada a quantia de R$ 1.471,00 em dinheiro, que ele relatou ser do seu pagamento como instrutor.

Comentários